Napoli sofre mas vence Milan pela terceira vez seguida no San Siro

Depois que Inter e Juventus foram derrotadas e a Atalanta venceu a Roma, Napoli e Milan entraram em campo pressionados. Afinal, quem vencesse, se afastaria dos rivais e materia a invencibilidade no campeonato.

Sem Rafael Leão pelo lado Rossoneri e Osimhen nos Azzurri, ambos os times estavam praticamente com forças semelhantes, proporcionando um jogo bem aberto.

Ambos os times começaram o duelo invictos e a vitória seria fundamental para dar três pontos que podem decidir o campeonato posteriormente.

Meret salva no primeiro tempo

Os milanistas partiram para cima do Napoli, pressionando na saída de bola com marcação alta e cercando as laterais, evitando que tanto Di Lorenzo quanto Mario Rui pudessem acionar Kvaratskhelia e Politano respectivamente.

Nos primeiros dez minutos, foram três jogadas de perigo dos donos da casa; na primeira, Giroud desviou para fora chute cruzado de Theo Hernández; na segunda, o lateral francês chutou para fora e na última o centroavante cabeceou por cima do gol de Meret. A defesa napolitana não conseguia segurar o camisa 9 rossonero que fazia a festa na zaga.

Aos 12 minutos, em bela jogada de Tonali, Giroud recebeu entre Di Lorenzo e Kim Min-Jae e finalizou com força no travessão, uma grande chance desperdiçada. O francês ainda teria outras duas chances mas todas por cima do gol. Meret está jogo a jogo conquistando a confiança dos napolitanos e de Spalletti. O goleiro Italiano está muito seguro e no primeiro tempo salvou o Napoli aos 27 minutos, quando em cobrança de escanteio, Krunič, cabeceou sozinho para uma linda defesa.

O ataque partenopei não funcionou na primeira etapa. A bola não chegava no trio ofensivo composto por Politano, Raspadori e Kvaratskhelia. Porém mesmo sem uma chance sequer de gol, os melhores momentos dos visitantes foram em jogadas individuais do georgiano que é sensação na Itália. Em dois lances, dois cartões para jogadores do Milan. Kjaer e Calabria terminaram a primeira etapa advertidos, sendo substituídos logo no retorno do intervalo.

Kvaratskhelia e Simeone decidem

O Napoli precisava acordar na partida pois estava totalmente dominado pelo adversário. Mas Kvaratskhelia tratou de aparecer na partida. Logo aos 52 minutos, partiu para cima de Sergiño Dest (havia acabado de entrar no lugar de Calabria) e foi derrubado pelo lateral. O VAR chamou o árbitro que marcou pênalti. Muita reclamação e confusão entre os jogadores tanto que sobrou cartão para Krunič por reclamação. Politano bateu o pênalti e abriu o placar para os visitantes. Um gol que deixaria a partida totalmente emocionante porque até ali, só se via o Milan jogar e o Napoli assistir.

O gol não abalou os donos da casa que seguiram pressionando. Eram muitas bolas aéreas e como estava sendo a única jogada de perigo milanista, os defensores rivais conseguiam evitar que boas chances surgissem.

Foi então que Pioli mexeu bem no time e as variações de jogadas começaram a acontecer. Com as entradas de Junior Messias e Brahim Díaz, os rossoneri seguiram pressionando ainda mais. Aos 67, boa defesa de Meret e forte chute de Junior Messias. Mas não teve como segurar o forte ataque do Milan. Logo depois, com 69 minutos, De Ketelaere, fez ótimo passe nas costas de Di Lorenzo para Theo Hernández, que cruzou rasteiro para Giroud finalizar no canto de Meret. Gol totalmente merecido por todo o volume de jogo apresentado pelo Milan ao longo da partida.

Se Pioli havia feito grandes mudanças no Milan, Spalletti também fez. Antes do gol de empate, Zerbin e Simeone entraram na partida para dar maior mobilidade ofensiva ao time. E as mudanças deram certo pois enquanto o Milan partia para cima com tudo, os napolitanos aproveitaram os espaços deixados pela defesa para contra-atacar. E aos 77 minutos veio o golpe fatal azzurro. Mario Rui recebeu na esquerda e cruzou para Simeone (que se antecipou a Tomori) cabecear com força no canto de Maignan.

O gol calou o estádio e foi um grande balde de água fria para os milanistas que logo na sequência quase levaram o terceiro gol. Jogada em velocidade de Simeone que tocou para Zerbin finalizar com muita força obrigando Maignan a defender em dois tempos (espalmou e agarrou na sequência).

 

Na reta final da partida, o Milan veio para o tudo ou nada transformando a partida em um duelo de ataque contra defesa. Aos 85 minutos, bola no travessão em finalização de Tomori que apareceu como elemento surpresa e quase igualou o marcador. Mas não teve jeito, vitória dos visitantes em partida que claramente faltou sorte ao Milan e sobrou frieza para o Napoli que soube sofrer e aproveitar as poucas oportunidades que teve de chegar ao gol adversário.

Vitória importantíssima

Foi a terceira vitória seguida dos partenopei no San Siro, algo que não acontecia desde 1979 ou seja, um feito histórico para Spalletti e seus comandados. A liderança vem em boa hora, pois Milan, Inter, Juventus e Roma perderam na rodada, algo que não acontecia desde 1955. Esses dados mostram que Napoli e Atalanta estão caminhando forte para uma boa disputa pela liderança.

A pausa para os jogos internacionais traz o descanso merecido aos elenco que volta a entrar em campo em duas semanas quando enfrentar o Torino em casa.

Em uma temporada tão pesada como a atual, com Copa do Mundo e calendário apertado, vencer o atual campeão e um dos favoritos ajuda muito a dar motivação e pontos preciosos. As bolas aéreas e enfiadas de bola nas costas dos laterias são preocupantes e merecem a atenção dobrada dos napolitanos.

Mas o que mais agrada é a força do elenco com Simeone crescendo jogo a jogo. Zerbin mostrando que pode ser um décimo segundo jogador e principalmente para Meret que honra a titularidade e ganha elogios afastando o desejo de contratar outro goleiro. Mario Rui vem evoluindo porque que tem concorrência forte na lateral. Raspadori e Ndombele estão em fase de adaptação e devem evoluir ao longo da temporada.

O fato é que o Napoli está vivendo um momento similar ao visto na última temporada. Resta saber se o time vai conseguir manter o alto nível apresentado e se os atletas terão estrutura física para suportar os pesados jogos que a equipe terá pela frente. Ao torcedor resta a alegria e o apoio pois é inegável que hoje o Napoli é merecidamente o melhor time da Itália.

 

SHARE