Juventus: desilusão, azar e apreensão

Apesar da polêmica envolvendo o árbitro assistente de vídeo, a Juventus tropeçou diante da Salernitana e novamente deu um passo em falso na atual temporada. O maluco embate em Turim, que aconteceu poucos dias antes de um importante compromisso pela Liga dos Campeões, aumentou ainda mais a pressão em cima do técnico Massimiliano Allegri.

O retorno do treinador toscano, que tinha como objetivo reviver os bons momentos da Velha Senhora, não vem surtindo o efeito desejado, pois a Juventus simplesmente ainda não progrediu em campo nesse segundo capítulo “allegriano”. Mesmo com algumas peças novas, o time piemontês segue cometendo os mesmo erros do passado e enfrenta problemas em ter um estilo de jogo próprio e mais aguerrido.

Em sétimo lugar no Campeonato Italiano, a Juventus venceu apenas dois dos seis jogos disputados e as recentes exibições dos bianconeri deixam bastante evidente que o medo de Allegri perder é muito maior do que o próprio desejo de ganhar, uma filosofia que é inconcebível em um clube do tamanho da Velha Senhora. Levando isso em consideração, as redes sociais novamente ficaram recheadas de críticas ao atual comandante.

A derrota para o Paris Saint-Germain na rodada inaugural da fase de grupos da Champions League e os resultados ruins na Serie A colocam em dúvida uma possível classificação da Juventus para as oitavas de final. Se pensarmos mais adiante, uma derrota contra o Benfica em Turim poderá seriamente comprometer a continuidade dos italianos na principal competição de clubes da Europa. Não custa lembrar que esses seis jogos serão concluídos em somente oito semanas por causa da Copa do Mundo de 2022, no Catar, podendo tornar fatal qualquer tropeço.

Depois do amargo e decepcionante empate diante da Salernitana, a Juventus chegará para encarar o Benfica com um time bem enfraquecido dos pontos de vista moral e técnico. O departamento médico bianconero está bem cheio e isso se tornou uma enorme dor de cabeça, já que Allegri não pode colocar em campo Paul Pogba, Federico Chiesa e Wojciech Szczesny. As lesões de Manuel Locatelli e Adrien Rabiot deixaram o meio com apenas quatro opções para três lugares e Ángel Di María voltou somente agora a treinar parcialmente ao lado do restante do elenco.

No geral, as performances individuais estão abaixo das expectativas, entre eles Juan Cuadrado, Weston McKennie e Moise Kean. Já o artilheiro Dusan Vlahovic vem lutando para conseguir aproveitar as oportunidades de gols que surgem, apesar de não aparecem muitas em virtude da falta de criatividade do setor de criação. Em seu momentâneo duelo pessoal contra Arkadiusz Milik, o polonês aparece um pouco na frente e não seria exagero dizer que merece uma chance na equipe titular pelas boas performances.

Outro jogador que também vem tendo um retrospecto extremamente positivo em Turim é o meio-campista sérvio Filip Kostic. Ainda se habituando ao ambiente da equipe, o jogador deu três assistências em três partidas disputadas pelo novo clube.

Em baixa na Serie A, que pode se esticar para os torneios continentais, a Juventus corre sérios riscos de fechar uma outra temporada sem conquistar títulos, principalmente se continuar não tendo muitas ideias dentro das quatro linhas e se a má sorte continuar dando suas cartadas. A Velha Senhora precisa agir antes que seja tarde demais.

SHARE