Eredivisie, os nomes do jogo na 34ª e última rodada

Vitesse 2×2 Ajax (domingo, 15 de maio)

Openda (52′, 56′) – Brobbey (15′), Álvarez (87′)

Nome do jogo: Loïs Openda (Vitesse)

Só o fato de Jay Gorter, terceiro goleiro durante boa parte da temporada, ter recebido sua primeira partida como titular, indicava que o Ajax já deixaria alguns nomes em descanso, tirando o pé do acelerador. Natural, para um clube com o título já garantido – e homenageado pelo Vitesse, que fez o “corredor de honra” para o campeão holandês antes do jogo. O que não quer dizer que não houvesse titular algum (em Arnhem estavam nomes como Edson Álvarez, Dusan Tadic, Steven Berghuis e Sébastien Haller). Muito menos que os visitantes de Amsterdã desdenhassem da vitória. Tanto que a pressão inicial do Vitesse foi esfriada com um lance típico para o 1 a 0 Ajacied: Tadic lançou, Brian Brobbey tocou na saída do goleiro, bola na rede. Sem fazer Gorter trabalhar na maior parte da etapa inicial, mesmo com um Ajax somente administrando o resultado, o Vites buscou mudar no segundo tempo: algumas alterações tornaram o time mais ofensivo. E Loïs Openda seguia como o destaque habitual do time de Arnhem. Bastou pressionar para que, aos 52′, Openda empatasse, completando cruzamento de Million Manhoef. Mais quatro minutos, e o atacante belga virou o jogo, aproveitando rebote de seu próprio chute, após outra bola vinda do canto. Aí, a “centelha de campeão” do Ajax se reacendeu. E o time de Amsterdã também teve mudanças que fizeram aumentar a pressão: Steven Berghuis mandou bola no travessão, Dusan Tadic também… até que, a três minutos do fim, Edson Álvarez fez praticamente a mesma coisa que fizera há uma semana, em outro 2 a 2, contra o AZ, na 32ª rodada. De cabeça, o mexicano completou um escanteio mandando a bola no canto direito do goleiro, para outro 2 a 2. Se não encerrou a temporada com vitória – como fizera no título de 2020/21, 3 a 1 também sobre o Vitesse -, pelo menos o Ajax evitou que o adversário lhe carimbasse a faixa. E já sem Erik ten Hag, terá até uma “pós-temporada”, com treinos e amistosos de exibição em Curaçao, no Caribe. As férias do campeão começarão bem…

Zwolle 1×2 PSV (domingo, 15 de maio)

Kastaneer (16′) – Bruma (11′), Ledezma (73′)

Nome do jogo: Bruma (PSV)

Era outra partida com clubes sem mais nada a buscar: o Zwolle já estava rebaixado, recebendo um PSV que se sabia vice-campeão de antemão. E o primeiro tempo foi relativamente animado. Se os Zwollenaren honraram a torcida com um estilo ofensivo no jogo, fazendo o goleiro Yvon Mvogo trabalhar bastante (11 defesas só na etapa inicial), os visitantes de Eindhoven foram mais precisos e contaram com a sorte para abrirem o placar: no 1 a 0, Gakpo chutou, e o desvio caiu nos pés de Bruma. Pelo menos para os donos da casa, Gervane Kastaneer empatou rapidamente, e ainda teve um gol anulado no minuto seguinte, por impedimento – o mesmo aconteceu com o PSV, ainda no 1º tempo. Já a etapa final teve mais leveza por parte dos Eindhovenaren, que tiveram dois jovens estreantes no time principal colocados por Roger Schmidt em campo: o lateral esquerdo Dennis Vos e o meio-campo Jason Seelt. Mas o gol da vitória do PSV coube a outro jovem – este, já com algumas partidas pelo time principal: o atacante Richard Ledezma recebeu lançamento de Jordan Teze e fez o 2 a 1. Vos, Seelt, Ledezma: na sua última partida comandando os Boeren, Roger Schmidt celebrou a importância ganha por eles (e por outros jovens, como Armando Obispo, Noni Madueke e o mais destacado deles, Cody Gakpo). A partir da próxima temporada, é com Ruud van Nistelrooy, que também os conhece bem.

Feyenoord 1×2 Twente (domingo, 15 de maio)

Dessers (68′) – Limnios (27′), Smal (37′)

Nome do jogo: Ramiz Zerrouki (Twente)

Era para ser uma partida leve às duas equipes, também com suas posições definidas na tabela (Feyenoord no 3º lugar, Twente no 4º). Pelo menos para o Feyenoord, ainda com crédito em alta como finalista da Conference League, a leveza logo deu lugar à preocupação. Para começo de conversa, por precaução, tanto Tyrell Malacia quanto Gernot Trauner também foram poupados na partida final pela Eredivisie. Mas o titular Reiss Nelson, previsto na escalação, se machucou no aquecimento e deu lugar a Alireza Jahanbakhsh. De mais a mais, bem mais ofensivo e dinâmico, o Twente sufocou uma defesa Feyenoorder em dia desatento. Com o goleiro Ofir Marciano como “bode expiatório” inescapável. No primeiro gol do Twente, Marciano soltou a bola nos pés de Ricky van Wolfswinkel, que cruzou para Dimitris Limnios fazer 1 a 0. No segundo, além do espaço que Gijs Smal teve na esquerda para concluir, o arqueiro israelense esperava cruzamento e abriu o seu canto – deixando espaço livre para Smal fazer 2 a 0. Piorando as coisas do Feyenoord, na etapa final, Orkun Kökcü sentiu lesão no tornozelo e foi substituído. Bem que Cyriel Dessers tentou diminuir as pulgas atrás da orelha do Stadionclub, marcando um gol de honra. Ainda assim, a impressão preocupante ficou para a torcida, diante de um Twente que venceu para lustrar sua excelente campanha. Ficam os problemas para serem resolvidos nos dias que a delegação do Feyenoord passará em Portugal, em preparação rumo à final da Conference League – quando erros como os da última rodada serão proibitivos…

AZ 1×3 RKC Waalwijk (domingo, 15 de maio)

De Wit (45′ + 1) – Stokkers (18′), Gaari (64′), Kuijpers (79′)

Nome do jogo: Finn Stokkers (RKC Waalwijk)

O AZ pretendia que o jogo fosse uma celebração externa (acabava o vínculo com o patrocinador que estampa o nome em sua camiseta – e seguirá nomeando o estádio, até 2025). Em campo, o time de Alkmaar pretendia uma vitória para se animar rumo à repescagem para a Conference League, que começará nesta semana. O RKC Waalwijk frustrou todos esses planos: se ficar na primeira divisão já era algo quase certo, virou definitivo no decorrer dos 90 minutos, graças a um bom ataque do time auriazul. Mais precisamente, de Finn Stokkers: ele fez 1 a 0, completando triangulação com Lennerd Daneels e Saïd Bakari. E criou a jogada do 2 a 1 que Juriën Gaari fez, encaminhando a vitória do RKC – esfriando um AZ que só demonstrou alguma possibilidade após o empate de Dani de Wit, cabeceando no fim do 1º tempo. No fim, Roy Kuijpers só ampliou a vitória do RKC Waalwijk, que vai tranquilo para as férias. E o AZ terá a pressão dos play-offs pela Conference League, aos quais chega sem rendimento satisfatório…

Heerenveen 3×1 Go Ahead Eagles (domingo, 15 de maio)

Van Hooijdonk (30′, 61′), Musaba (87′) – Mulenga (89′)

Nome do jogo: Sydney van Hooijdonk (Heerenveen)

No começo deste 2022, numa sequência de resultados ruins, o Heerenveen chegou até a temer levemente o rebaixamento. Mas algumas coisas mudaram no time, nomes vindos para o returno começaram a jogar bem… e a melhora teve seu ápice na última rodada. Esperava-se que Sydney van Hooijdonk tivesse preponderância no Fean, e o jovem atacante confirmou de novo isso: com mais dois gols de cabeça, ele abriu o caminho para a chegada aos play-offs por lugar na segunda fase preliminar da Conference League. No fim do jogo, Anthony Musaba garantiu isso. E nem mesmo o gol de honra feito por Jacob Mulenga, encerrando sua carreira no Go Ahead Eagles, tirou a satisfação do estádio em Heerenveen, que além de tudo, teve sorte com as derrotas de NEC e Groningen, adversários diretos pelo lugar na repescagem. Da ameaça de um fim melancólico de temporada à continuação nesta semana, enfrentando o AZ nos play-offs para o torneio continental: a reação do time da Frísia na reta final merece aplausos.

Groningen 2×3 Cambuur (domingo, 15 de maio)

Strand Larsen (58′), Postema (90′ + 2) – Uldrikis (12′), Hoedemakers (50′), Kallon (61′)

Nome do jogo: Issa Kallon (Cambuur)

Não que estivesse muito bem, mas o Cambuur chegava à última rodada mais aliviado (porque livre do rebaixamento) do que o Groningen – mesmo com chance de repescagem para a Conference League, perturbado por seis derrotas seguidas. E foi o que se viu em campo. Nem parecia que o Cambuur jogava fora: rapidamente, Roberts Uldrikis abriu o placar. A velocidade de Issa Kallon e Sekou Sylla perturbava a defesa dos Groningers – e Mees Hoedemakers transformou essa superioridade em gol, já no segundo tempo, completando passe de Kallon. Mesmo após Jorgen Strand Larsen diminuir, um pênalti vindo logo depois (Mitchel Paulissen foi derrubado por Bjorn Meijer) foi convertido por Kallon. E mesmo com um último gol do Groningen – Romano Postema diminuiu para 3 a 2 -, a superioridade do Cambuur teve seu prêmio: além da vitória, tropeços de times que estavam à frente da tabela permitiram que o time auriazul de Leeuwarden terminasse a temporada em 9º lugar. Posição digna de uma boa surpresa que este Campeonato Holandês teve. Já o Groningen só celebra o fim de uma temporada que terminou problemática. Agora, nova fase, sob o comando de Frank Wormuth.

NEC 0x1 Fortuna Sittard (domingo, 15 de maio)

Flemming (13′)

Nome do jogo: Zian Flemming (Fortuna Sittard)

O Fortuna Sittard teve Zian Flemming colaborando nos dois lances decisivos da partida. No primeiro, gol a favor dos visitantes de Sittard: Paul Gladon ajeitou, e o ponta-de-lança chutou forte para o 1 a 0, seu nono gol pela Eredivisie só em 2022, podendo salvar o time verde-e-amarelo do rebaixamento (gol comemorado com homenagem a Ralf Seuntjens, atacante e irmão do colega de time Mats, que sofre com um tumor). O problema estava com o NEC, que precisava vencer se quisesse a última vaga na repescagem rumo à Conference League. E nem assim o time de Nijmegen teve uma miríade de chances para virar o placar – a mais impressionante foi só a de Jonathan Okita, no segundo tempo. Quando o NEC chegou mais perto do gol, nos acréscimos da partida, Flemming esteve no outro lance decisivo: Elayis Tavsan completou na saída do goleiro Yanick van Osch, o empate vinha… mas Flemming tirou a bola de cabeça, em cima da linha, garantindo a vitória e a permanência dos Fortunezen na primeira divisão. Nas entrevistas pós-jogo, em meio à comemoração aliviada, Flemming confirmou que deseja deixar o clube. Se sair, terá sido com o dever cumprido.

Willem II 3×0 Utrecht (domingo, 15 de maio)

Hornkamp (8′), Saddiki (53′), Van Overeem (contra, 73′)

Nome do jogo: Dries Saddiki (Twente)

Como fizera há duas rodadas, encaminhando rapidamente a vitória sobre o Heracles Almelo, o Willem II se valeu do ambiente fervilhante em Tilburg e de sua atenção maior para fazer 1 a 0 com rapidez, num Utrecht já garantido na repescagem para a Conference League: Derrick Köhn bateu, a bola foi rebatida pelo goleiro Eric Oelschlägel e Jizz Hornkamp estava a postos para fazer 1 a 0. A intensidade maior dos Tricolores seguiu ao longo do segundo tempo, com mais chances criadas, e outro gol rápido na etapa complementar: em outro rebote cedido por Oelschlägel (após cabeceio do zagueiro Freek Heerkens), Dries Saddiki chutou forte para o 2 a 0. Pior ainda, para o Utrecht, foi ver o desacerto da defesa que levou ao terceiro gol dos Tilburgers: o volante Joris van Overeem recuou a bola tentando recomeçar o jogo com Oelschlägel, o goleiro estava desatento… e a bola recuada virou gol contra. O Willem II fez sua parte. Mas Fortuna Sittard e Sparta Rotterdam, também ameaçados pelo rebaixamento, também fizeram as deles. Venceram e se salvaram. E o time tricolor amargou o destino temido: mesmo com vitória, está rebaixado à segunda divisão, após sete anos. Nem os três pontos consolaram a torcida.

Heracles Almelo 1×3 Sparta Rotterdam (domingo, 15 de maio)

Bakis (83′) – Verschueren (45′ + 1), Thy (69′), Engels (79′)

Nome do jogo: Younes Namli (Sparta Rotterdam)

Com duas equipes ameaçadas pelo rebaixamento, o jogo em Almelo só poderia ter a alta tensão que teve. Pelo menos, em boa parte do primeiro tempo – quando o Heracles esteve até mais perto do gol. Porém, a eficiência do Sparta entrou em campo para salvar definitivamente o time de Roterdã na temporada. Começando nos acréscimos do primeiro tempo: foi quando Younes Namli deixou, com um passe, Arno Verschueren livre para fazer 1 a 0. No segundo tempo, a sorte ajudou um bocadinho os Spartanen: numa jogada de ataque do Heracles, a bola bateu na coxa e na mão de Aaron Meijers, houve quem suspeitasse e pedisse pênalti, mas o juiz entendeu que os toques foram involuntários. E o Sparta escapou para a salvação. Namli apareceu de novo, lançando para Lennart Thy fazer o 2 a 0. E Mario Engels, com o terceiro gol, deixou claro que a equipe do bairro de Spangen passaria mais uma temporada na primeira divisão.  Sinan Bakis até fez o gol de honra, mas a tensão que começara do lado do Sparta passou totalmente para o lado do Heracles Almelo: inesperadamente, o time alvinegro terá de jogar sua sorte na repescagem de acesso/descenso/permanência, começando com partidas contra o Excelsior.

 

SHARE