Lille faz jogo duro mas Chelsea é soberano e põe um pé nas quartas

Nessa terça feira (23), o Chelsea confirmou o favoritismo contra o Lille com uma vitória por 2 a 0, os franceses que fizeram um jogo bastante agressivo e com bastante iniciativa principalmente por parte de Renato Sanches e Bamba, mas não foi o suficiente para parar o time de N’golo Kante, que foi o destaque da partida.

 

Lille competiu, tentou, mas não conseguiu a vitória

O Lille apesar da derrota, fez um jogo bastante franco com o Chelsea, os franceses em certos momentos da partida conseguiram manter a bola no ataque e criar, mas a forte defesa dos blues prevaleceu.

 

O time de Jocelyn Gourvennec defendia num 4-2-3-1 em um bloco intermediário, com Jonathan David fazendo o primeiro combate aos defensores, e os pontas Bamba e Renato Sanches fazendo o mesmo no corredor lateral. Além disso, uma das propostas do time francês era tentar pressionar alto em certos momentos do jogo e principalmente quando perdesse a bola, escolhas que não funcionaram em algumas situações e que geraram bastante perigo, os comandados de Thomas Tuchel principalmente com Kante encontravam campo aberto e isso exigiu bastante dos defensores Sven Botman e José Fonte, que fizeram um bom jogo defendendo a área, apesar da vulnerabilidade no corredor central na parte de meio-campo.

 

Ofensivamente o time apesar de reter a bola em alguns momentos do jogo, criou pouco, Jonathan David, o artilheiro do time francês teve bastante dificuldade para participar, e ficou preso na sólida defesa de Thiago Silva. Os únicos que trouxeram perigo ao Chelsea foram Renato Sanches e Bamba, o português que apesar de ter sido escalado na ponta, flutuava em todo o campo e armava as ações ofensivas do time, em certos momentos até virando um “meia-central” na equipe, já o francês foi bastante perigoso no 1×1 e nos ataques as costas da defesa dos blues, ele em certas situações que Renato não estava na direita, também ocupava esse espaço explorando o setor de Marcos Alonso.

 

No segundo tempo apesar da melhora por parte do Lille no desempenho, a facilidade em que o Chelsea quebrou sua pressão em bloco-alto prevaleceu e Pulisic marca o segundo e praticamente fecha o placar. As substituições de Jocelyn colocando Burak Yilmaz e Hatem Ben-Arfa não surtiram efeito e o jogo ficou da mesma maneira.

 

O time francês jogará a volta em seu estádio por ter sido o 1° de seu grupo, e contará com a força de seus torcedores para reverter o placar adverso. Apesar de estar na fase de oitavas da Champions League, o Lille vive um momento diferente em relação a sua última temporada, onde foi campeão da Ligue 1, o time perdeu várias peças importantes como o técnico Christophe Galtier que foi treinar o rival Nice, Reinildo (lateral-esquerdo), Mike Maignan (goleiro), Soumaré (meio-campista) e Luís Araújo (atacante), essas perdas que fazem muita falta ao Lille, que amarga apenas a 11° colocação do campeonato francês.

 

Chelsea relembra o vertical time da última temporada

Os blues apesar de passarem por alguns momentos de dificuldade no jogo, foram soberanos e conseguiram fazer um placar importante fora de casa, Kante foi o homem do jogo e teve muita relevância nós contra-ataques do time inglês.

 

O Chelsea entrou no jogo com uma mudança que já tinha acontecido em outros jogos, Kovacic entrou no lugar de Jorginho e formou a dupla de meio-campo, uma dupla com mais força defensivamente, principalmente em duelos e recuperações de bola. Com bola o time inglês atacava no seu tradicional 3-2-5, explorando bastante as laterais, seja com os zagueiros ligando diretamente os pontas, algo que Rüdiger fez muito bem em todo o jogo, ou lançamentos do meio-campo para a extremidade, o time usou para explorar as situações de dois contra um em vantagem numérica frente ao Lille que defendia num 4-3-3 ou 4-2-3-1, e tinha que lidar com um esse problema, Hakim Ziyech e Pulisic foram importantíssimos nesse quesito. O primeiro gol dos blues sai depois de uma jogada de escanteio em que Kai Havertz marca seu segundo gol na Liga dos Campeões, o alemão que entrou muito bem na equipe vide a fase ruim de Lukaku, entrega características bastante diferentes do belga, como a maior mobilidade sem a bola, sempre buscando participar do jogo abrindo espaços na defesa adversária.

Entretanto, o fator principal do jogo fica com N’golo Kante, que apesar de ser um grande recuperador de bolas, foi de extrema importância para puxar as fortes transições/progressões ofensivas do Chelsea, que conseguiu quebrar a pressão do Lille muito fácil em alguns momentos do jogo, dessa maneira inclusive que sai o segundo gol do estadunidense Pulisic, numa rápida progressão ao ataque.

O time do Chelsea agora vai à França podendo perder até por um gol de diferença que está classificado, a ida para as quartas de finais já está praticamente encaminhada. Os blues vivem uma temporada de bastante altos e baixos, começou muito bem, inclusive chegou a ser líder e disputar a ponta da Premier League, mas após o jogo contra a Juventus pela Champions League tudo desandou, nesse jogo Ben Chilwell (ala-esquerdo) saiu lesionado, alem disso, houve o surto de covid no time, declarações polêmicas de Lukaku que dizia ter vontade de ainda estar na Inter de Milão e a lesão de Reece James (ala-esquerdo). Porém a equipe de Thomas Tuchel acabou de ganhar o Mundial de Clubes frente ao Palmeiras e já está com um pé na próxima fase da Liga dos Campeões, algo que pode deixar os torcedores fanáticos do Chelsea mais tranquilos.

 

SHARE