Vitinho é destaque em estreia de Paulo Sousa no Flamengo

A estreia era do técnico Paulo Sousa, mas o grande destaque da vitória por 3 a 0 sobre o Boavista foi Victor Vinícius Coelho dos Santos. Com três assistências na partida, Vitinho deu a largada na temporada 2022 de forma animadora.

Apesar do protagonismo de Vitinho na estreia do elenco principal do Flamengo, uma análise individual me parece simplista e menos importante. Em noite de estreia do novo comandante, o que valia mesmo era entender as variações táticas, as ideias do treinador e de que maneira a equipe assimilaria a nova forma de jogar.

Depois de um deserto de ideias sob o comando do obsoleto Renato Gaúcho, voltar a ver um Flamengo com repertório, ainda que em fase inicial, é promissor. Não tem como negar. Traz esperança ao torcedor e eleva o nível de cobrança interna do grupo.

O hat-trick de assistências de Vitinho é um bom exemplo desse resgate da excelência. Em um time bem treinado, com variações de jogo e o preparo físico em dia, um jogador como Vitinho se torna fundamental na rotação da equipe. Longe de ganhar status de protagonista do time, mas em um grupo forte e competitivo, será extremamente útil, principalmente nos passes para gol.

“Temos que pensar que o Vitinho é o melhor jogador que temos com assistências. Tem muita qualidade. Vem de recuperação de uma lesão nas férias e integrou-se bastante bem. Nos tem dado boas indicações, com muita vontade e responsabilidade”, Paulo Sousa

Voltando ao novo técnico rubro-negro, salta aos olhos a diferença também na coletiva de imprensa pós-jogo. Educado, ponderado e acima de tudo capaz, Paulo Sousa não repete os constrangimentos de outrora e não foge das perguntas. As responde de maneira clara, inclusive taticamente, e sempre apontando o que pode ser melhorado. Novos (velhos) tempos. Fez questão, inclusive, de citar jogadores na coletiva, sempre com a intenção de fazer seus atletas evoluírem. Foi o caso do também estreante Marinho, autor de um dos gols da noite.

“Marinho tem que saber dar pausa ao jogo, já que a equipe muitas vezes não consegue o acompanhar, o que atrapalha o equilíbrio dos setores”

Outro ponto que me chamou a atenção desde sua chegada ao Flamengo foi sobre competitividade. A priori, para jogar no time titular de Paulo Sousa vai ser preciso bem mais que nome. O dia a dia no Ninho vai ser preponderante para os jogos. Mais do que nunca, o treinamento será um espelho para as partidas. Em um grupo tão capaz como o do Flamengo, isso vai transformar os treinos em verdadeiras batalhas por vagas na equipe.

“O treino tem que ser transportado para o jogo. Quanto mais competitividade no treino, mais preparação teremos no jogo”, Paulo Sousa

A pré-temporada segue “a todo vapor”, agora com os jogos oficiais servindo de apoio. As ideias começam a ser colocadas em prática. Aos poucos, com os jogadores “na ponta dos cascos”, a tendência é que o time do Flamengo evolua e passe a jogar com a cara de seu treinador. Ainda que Paulo Sousa tenha consciência de que, no Flamengo, a evolução necessariamente precisa vir acompanhada de vitórias.

Nós temos que ir preparando, mas ganhando, porque a cultura é essa. Ganhamos, criamos, não sofremos gol. Eles (Boavista) não criaram oportunidades, e esperamos que seja o mais breve possível essa consolidação”, Paulo Sousa

SHARE