Bruno Guimarães, a primeira grande contratação na nova era do Newcastle

Quando chegou o dia 1º de janeiro, os fanáticos por futebol, e também aqueles que não perdem uma movimentação do mercado, ficaram esperando em que o Newcastle United iria apostar suas fichas. Chris Wood e Kieran Trippier foram os primeiros nomes a chegarem, mas ambos sem grandes expectativas. Agora, o brasileiro Bruno Guimarães fez com que a nova diretoria investisse pesado em sua chegada, e de certa forma traz esperança de melhores momentos.

O volante chega para um dos clubes que possui grandes ambições esportiva. É claro que tudo isso só é possível graças aos rios de dinheiro que o governo da Arábia Saudita passou a investir na equipe inglesa desde outubro de 2021. Agora, valores já não são mais nenhum problema.

É claro que Bruno Guimarães troca o Lyon, equipe que briga sempre por competições europeias no futebol francês por um time que neste momento está na zona de rebaixamento da Premier League. Quando uma mudança dessas acontece, é fácil entender que o que chamou sua atenção foi o dito projeto esportivo.

Sem mais delongas, aqui vai uma análise sobre como Bruno Guimarães pode contribuir para o Newcastle United e também o que esperar dos Magpies tanto nas próximas movimentações no mercado, como na própria Premier League.

 

O sucesso de Bruno Guimarães no Brasil fez ele ser pretendido pela Europa

Quando o Lyon anunciou a contratação de Bruno Guimarães em 30 de janeiro de 2020 por 20 milhões de euros, muitos imaginavam que ele poderia ter escolhido outro destino, até mesmo uma equipe com maiores ambições do que os franceses. Em outros momentos, o Atlético de Madrid chegou a demonstrar interesse e ficar até mesmo próximo de uma proposta, o que acabou não acontecendo.

No Athlético Paranaense, ele ficou conhecido como um segundo volante de grande capacidade de marcação, e melhor ainda quando pisava na área – inclusive sendo o autor do gol da vitória da primeira partida da final da Copa do Brasil de 2019. A força física de Bruno Guimarães sempre chamou atenção, claro que não se trata de uma máquina como alguns outros atletas do mundo, mas ele jamais se intimidou por marcação alguma.

Bruno chegou para a equipe paranaense em 2017, depois de certo destaque no Audax de São Paulo. Em Curitiba, sua entrega em campo e também as grandes atuações fizeram com que rapidamente ele se tornasse ídolo no Furacão. Sendo campeão da Copa SulAmericana em 2018 e da Copa do Brasil em 2019.

Leia também: Aston Villa e Steven Gerrard uma relação promissora que tem tudo para render bons frutos

Em um bom linguajar da Premier League – liga em que ele atuará agora – Bruno é o famoso box to box, o jogador que possui grandes valências quando o assunto é marcação, e pode ser igual ou melhor ainda quando o assunto é o ataque. Muitos também chamam jogadores com essas características de todo campista, muito porque não se limitam apenas ao que a sua posição diz na teoria.

Bruno obteve bons números em 2018 quando atuou em 32 partidas (Campeonato Brasileiro), e chegou à média de uma interceptação por jogo e 1,5 desarmes, além de ter marcado um gol e ter dado outra assistência. Um número que também chamava muita atenção era o seu percentual de passes certos, superior a 90% por jogo. Em 2019, no Brasileirão, entrou em 25 partidas, anotando dois gols e garantindo os mesmos números defensivos que no ano anterior.

Mais do que olhar para os números, era sobre ver a influência que Bruno Guimarães possuía dentro do Athlético. Em muitos momentos chegou inclusive a ser o capitão da equipe.

 

O primeiro destino na Europa foi uma surpresa, mas contou com a mão de um ídolo

Quando se trata de futebol francês e a relação com o Brasil, é fácil de lembrar de Juninho Pernambucano, hoje dirigente no Lyon. E foi justamente o ex-jogador quem teve um peso grande na ida de Bruno Guimarães para a equipe.

O próprio meia brasileiro comentou em diversas entrevistas que fora Juninho quem o convenceu a rumar para a equipe francesa. E, em 30 de janeiro de 2020, o Lyon tirou 20 milhões de euros dos cofres para garantir sua contratação.

Em virtude da pandemia de Covid-19, Bruno atuou em apenas três partidas da liga francesa em 2019/2020. Porém, sua rápida adaptação foi importante para levar a equipe as semifinais da Champions League daquela temporada, inclusive com direito a anulação de Cristiano Ronaldo nos duelos frente a Juventus de Turim, e também partida cirúrgica contra o Manchester City nas quartas.

Mais sobre o Newcastle: Trippier e Wood: as primeiras contratações da nova era do Newcastle

Em 2020/2021, Bruno Guimarães teve sua temporada mais artilheira se tratando de ligas nacionais. Entrou em campo em 33 jogos e marcou três gols, além de ter dado outra assistência. Foi na França que o seu lado defensivo aflorou ainda mais, obtendo uma média de 2,3 desarmes por partida, enquanto chegou a bater os 90% de acerto nos passes por partida.

O Lyon terminou apenas na quarta colocação, mas o jovem brasileiro começou a chamar atenção de outras equipes. Muito se noticiou sobre interesse de equipes de outras ligas, em especial do futebol inglês.

Na atual temporada, em 20 partidas no francês, Bruno melhorou seus números em outro aspecto, tornou-se um garçom, tendo distribuído três assistências. Defensivamente, melhorou ainda mais seus números, com 2,5 desarmes e 1,1 interceptação por jogo.

 

O que esperar de Bruno Guimarães na Inglaterra?

Bruno Guimarães, por 40 milhões de euros, agora é jogador do Newcastle United, sendo a maior investida do clube inglês desde que passou a contar com o aporte financeiro vindo da Arábia Saudita. E o que ele pode contribuir para a equipe?

Até o fechamento dessa matéria, os Magpies estavam na 17ª colocação da Premier League com 15 pontos em 21 partidas, e apenas duas vitórias na competição. Em uma equipe carente de jogadores no meio-campo, não é difícil de imaginar Bruno sendo peça fundamental para essa retomada.

Na equipe escalada por Eddie Howe na vitória sobre o Leeds United em 22 de janeiro, o setor era formado por Jonjo Shelvey, Joe Willock e também belo brasileiro Joeliton, centroavante, e que está atuando como um coringa no meio desde a chegada de Howe.

Mais sobre a Premier League: Mesmo com o campeoníssimo Conte, Tottenham naufraga em sua própria falta de ambição

Analisando as partidas do Newcastle e a forma como se porta em campo, é de se imaginar que Bruno entre no lugar de Willock e seja deslocado para a função de primeiro volante, proporcionando uma maior liberdade para Shelvey, jogador mais cerebral da equipe e capaz de armar rapidamente jogadas de ataque.

Mesmo assim, não é se descartar que quando Isaac Hayden retornar de lesão – machucou o joelho no final de 2021 e deve voltar somente no final de fevereiro – Bruno seja colocado como um segundo volante. Dessa forma, Jonjo poderá atuar mais avançado, organizando a equipe de Howe de forma mais ofensiva.

As opções são variadas, Bruno tem flexibilidade e habilidades suficientes para jogar em qualquer posição do meio. O que vai pesar na sua titularidade é a adaptação ao futebol inglês, mais física e completamente diferente do que ele já viu no Brasil e na França.

 

As chegas são o suficiente para se mandar na Premier League?

Em comparação com as equipes que estão na luta contra o rebaixamento (Watford, Burnley e Norwich), claramente o Newcastle e o time com mais dinheiro, só que isso não entra em campo.

Até o fechamento da matéria nenhum outro jogador havia sido contratado. Muito se fala da chegada de um, ou até mesmo dois defensores. Natt Phillips do Liverpool e Diego Carlos do Sevilla foram os nomes mais vinculados ao Newcastle, entretanto, nenhuma proposta foi feita.

Em uma equipe que tem a ambição de em poucas temporadas estar figurando nas posições mais altas da Premier League, a chegada de grandes estrelas parece ficar para um segundo momento, hoje, o principal objetivo é se livrar de um vexame que seria o rebaixamento.

Até o momento, Kieran Trippier por 15 milhões de euros e Chris Wood por 30 milhões se juntam a Bruno Guimarães, 52 milhões de euros como as contratações da janela. Para a janela de verão, na metade do ano, tudo dependerá da colocação final da Premier League 2021/2022.

SHARE