Eredivisie, os nomes do jogo da 20ª rodada

Vitesse 1×3 Groningen (sábado, 22 de janeiro)

Oroz (76′) – Strand Larsen (39′), De Leeuw (67′), Van Kaam (71′)

Nome do jogo: Eli Dasa (Vitesse)

Há algum tempo, o atacante belga Loïs Openda é o destaque positivo do Vitesse – quando nada, por ser o goleador do Vites na temporada. No sábado, talvez pudesse ser citado de novo, mas pelo aspecto negativo: aos 35′, ao ser empurrado pelo lateral direito Mike te Wierik, Openda tentou se livrar dele com um cotovelaço. O VAR flagrou, aconselhou o juiz Dennis Higler, este viu no vídeo… e expulsou Openda. Claro que o Vites poderia ter se reorganizado com dez homens em campo. Mas não deu tempo: quatro minutos depois, de cabeça, Jorgen Strand Larsen fez 1 a 0 para o Groningen. E na etapa final, Eli Dasa acabou “assumindo” o destaque: o lateral israelense quase cometeu gol contra (chegou junto com Michael de Leeuw, que fez 2 a 0), e falhou ao perder a bola para Daniël van Kaam fazer 3 a 0. Depois, o goleiro Peter Leeuwenburgh “retribuiu” a falha, que Dominik Oroz aproveitou para diminuir a desvantagem. Mas era tarde para impedir uma vitória elogiável e até inesperada do Groningen.

AZ 0x0 Cambuur (sábado, 22 de janeiro)

Nome do jogo: Sonny Stevens (Cambuur)

Sempre que a defesa do Cambuur conseguia bloquear os espaços diante do AZ (e isso ocorreu muitas vezes ao longo dos 90 minutos), ouviam-se gritos no vazio AFAS Stadion, com os defensores se incentivando uns aos outros. Se servia para manter a concentração, ajudou bastante: mesmo com posse de bola bem maior, mesmo tentando vários chutes nas imediações da grande área, o AZ raramente acertava a meta visitante. E numa vez em que chegou perto disso, aos 81′, Dani de Wit cabeceou à queima-roupa, para o goleiro Sonny Stevens fazer a defesa do jogo, saindo do gol, cobrindo o espaço e desviando para fora. Não bastasse isso, até uma chance o Cambuur teve (Michael Breij forçou o goleiro Peter Vindahl a trabalhar). E o time de Leeuwarden manteve o sonho de participar dos play-offs por vaga na Conference League, impondo fim à sequência de vitórias do AZ pela liga. Nada mal.

Heerenveen 0x1 Zwolle (sábado, 22 de janeiro)

Van Polen (11′)

Nome do jogo: Bram van Polen (Zwolle)

Diante da vitória até surpreendente diante do Willem II, ficou a curiosidade: o lanterna Zwolle poderia repetir a dose, diante do Heerenveen, fora de casa? A resposta demorou só onze minutos: foi quando um desvio da mão de Rami Kaib na bola rendeu o pênalti que o capitão Bram van Polen bateu, para o 1 a 0. Aí foi só se fechar na defesa? Mais ou menos: está certo que o time da casa buscou o empate, mas os “Dedos Azuis” tiveram boas chances de ampliar, em dois chutes de Oussama Darfalou, bem defendidos pelo goleiro Xavier Mous. Mais: na etapa final, Gervane Kastaneer até fez gol anulado. E por mérito de Van Polen, já um estandarte dos Zwollenaren, o Zwolle obteve sua primeira vitória fora de casa no Campeonato Holandês desde abril de 2021 (por coincidência, também contra o Heerenveen). Já está só um ponto abaixo do Fortuna Sittard. E ainda que a situação siga muito difícil contra o rebaixamento, sinaliza: não se entregará sem luta.

Willem II 0x1 Twente (sábado, 22 de janeiro)

Sadílek (40′)

Nome do jogo: Daan Rots (Twente)

Não que o jogo tenha sido animado em Tilburg: só 13 chutes a gol, o mais baixo índice da temporada. Ainda assim, o Twente foi mais time desde o começo. Teve dois gols anulados no primeiro tempo: Daan Rots estava impedido ao cabecear, enquanto Manfred Ugalde completou para o gol após Ricky van Wolfswinkel obstruir o goleiro Timon Wellenreuther. Pelo menos, o terceiro valeu: após escanteio desviado pelo zagueiro Robin Pröpper, Michal Sadílek chutou de primeira para o 1 a 0. E foi o suficiente para que os Tukkers cavassem ainda mais o buraco em que o Willem II vai se enfiando a cada rodada, com dez derrotas seguidas.

NEC 1×4 Feyenoord (domingo, 23 de janeiro)

Schöne (17′) – Kökcü (32′, 53′), Jahanbakhsh (64′), Til (90′ + 1)

Nome do jogo: Orkün Kökcü (Feyenoord)

Após a derrota para o Vitesse, na rodada passada, ficou a dúvida sobre a capacidade do Feyenoord conseguir furar um time cuja defesa tem cinco nomes, encurtando os espaços para troca de passes. A dúvida aumentou no bom começo do NEC, coroado com o gol de Lasse Schöne (após falha de Lutsharel Geertruida numa tentativa de afastar a bola). Coube a Orkun Kökcü começar a abrir o caminho. O meio-campo foi rápido no primeiro tempo, para entrar com a bola na área, ser derrubado por Magnus Mattson e converter o pênalti subsequente que empatou o jogo. E foi rápido e brilhante no gol da virada: após Fredrik Aursnes roubar a bola, Kökcü recebeu e mandou a bola no ângulo. Daí por diante, o NEC estava perdido – como se viu na falha de Iván Márquez que abriu caminho para o gol de Alireza Jahanbakhsh. E o Feyenoord estava a caminho da goleada que conseguiu. Aprendendo a jogar contra defesas com cinco jogadores: na base da rapidez.

PSV 1×2 Ajax (domingo, 23 de janeiro)

Götze (54′) – Brobbey (34′), Mazraoui (77′)

Nome do jogo: Rob Dieperink, o árbitro de vídeo

No começo, diante de um PSV controlado na defesa, fechando os espaços que o Ajax buscava, o jogo truncado nem parecia ter nomes de destaque. Mas um deles apareceu: Brian Brobbey. Afinal, três minutos após uma forte dividida com Armando Obispo deixá-lo com fortes dores no joelho, o atacante do Ajax se aguentou para completar cruzamento de Dusan Tadic, fazer 1 a 0 e comemorar mancando, com a lesão que forçou a sua substituição. E os visitantes se controlavam. Até Jurriën Timber (outro candidato a nome do jogo até então, com ótima atuação na zaga) falhar, no começo do segundo tempo – e Mario Götze empatar. Aí, sim, o clássico fez jus ao nome: chances de parte a parte, os dois times em busca da vitória. E o nome do jogo poderia ser Noussair Mazraoui, com seu belo gol que recolocou o Ajax na frente. Porém, na jogada do gol, Daley Blind tentara dominar a bola rente à lateral esquerda… e a bola ficou praticamente fora do campo, passando a linha. Para a maioria, jogada que anularia o gol.  Mas Rob Dieperink, na cabine do VAR, achou as câmeras inconclusivas, preferindo deixar a decisão do juiz Danny Makkelie, confirmando o 2 a 1. O PSV saiu de campo irritado – e o Ajax, celebrando a primeira vitória em Eindhoven após seis anos. Mais do que isso: celebrando a volta à liderança da liga.

Heracles Almelo 1×1 Go Ahead Eagles (domingo, 23 de janeiro)

Sierhuis (32′) – Lidberg (73′)

Nome do jogo: Isac Lidberg (Go Ahead Eagles)

O Heracles Almelo vinha para o jogo sob a sombra da condução dos problemas com Rai Vloet: de volta aos campos no empate contra o NEC, na rodada passada, o meio-campista teve descobertos complicadores no seu atropelamento que matou uma criança (estava embriagado, e guiava em velocidade maior do que a confessada ao clube) – torcedores protestaram, o clube suspendeu Vloet novamente, e ele deve deixar o clube. Fosse como fosse, pelo menos no começo, os problemas ficaram de fora do campo: os Heraclieden começaram melhores, e mereceram o 1 a 0 com Kaj Sierhuis, em seu primeiro gol pela Eredivisie desde novembro. Porém, preferiram manter a vantagem a buscar mais gols. Bastou para o Go Ahead Eagles se animar no segundo tempo, trazendo mais e mais perigo em contra-ataques… até Isac Lidberg completar um deles e empatar o jogo. O ânimo dos visitantes cresceu até a ponto de Iñigo Córdoba quase virar o jogo na reta final. Bem ou mal, o empate já serviu para fazer o Kowet voltar a pontuar – e fora de casa.

Sparta Rotterdam 0x3 Utrecht (domingo, 23 de janeiro)

Douvikas (12′), Mahi (47′), Van de Streek (75′)

Nome do jogo: Anastasios Douvikas (Utrecht)

A vitória seria muito bem vinda para os dois times. Para o Sparta, pela situação cada vez mais periclitante, na zona de repescagem/rebaixamento; para o Utrecht, por servir para firmar novamente a posição no meio de tabela, após cinco jogos sem vencer. Coube a Anastasios Douvikas encerrar um jejum pessoal (desde 25 de setembro de 2021 o atacante grego estava sem fazer gols), para começar a encerrar a má sequência do Utrecht. Diante de um Sparta combalido, o time visitante já encaminhou as coisas de vez ao fazer 2 a 0 logo no começo do segundo tempo, com Mimoun Mahi completando cruzamento de Othman Boussaid. E Sander van de Streek completou uma vitória que possibilitará ao técnico René Hake, sob pressão desde a inesperada eliminação na Copa da Holanda, ter mais paz na pausa por que a Eredivisie passará nas datas FIFA deste fim de mês.

RKC Waalwijk 2×1 Fortuna Sittard (domingo, 23 de janeiro)

Gaari (2′), Kramer (20′) – Seuntjens (65′)

Nome do jogo: Michiel Kramer (RKC Waalwijk)

O Fortuna Sittard piscou, e já estava 1 a 0 para o RKC Waalwijk: mais precisamente, a falha foi do zagueiro Nigel Lonwijk, que perdeu a bola para Jurien Gaari já marcar o gol. A falha do zagueiro dos Fortunezen foi imperdoável, diante de um ataque como o do RKC – que, se não é dos melhores, tem nível razoável para um clube pequeno do Campeonato Holandês. E coube ao mais confiável dos atacantes do time de Waalwijk, Michiel Kramer, estar a postos para confirmar sua veia goleadora, fazendo 2 a 0 num cruzamento de Finn Stokkers. O Fortuna parecia batido, mas recebeu uma lufada de ar no segundo tempo, com o pênalti que Mats Seuntjens sofreu e converteu para o 2 a 1. Porém, ficou nisso a reação. Sorte do RKC: com duas vitórias seguidas, começou 2022 com impulso importante para se distanciar do rebaixamento. Por falar nele, o penúltimo lugar Fortuna Sittard já vê o antes desesperançado Zwolle estar a somente um ponto…

SHARE