Eredivisie, os nomes do jogo na 19ª rodada

Zwolle 2×0 Willem II (sexta-feira, 14 de janeiro)

Van den Belt (25′, 78′)

Nome do jogo: Thomas van den Belt (Zwolle)

Às vezes, o futebol é curioso. Não bastasse ser lanterna, em péssima situação, o Zwolle chegou a pedir que a federação adiasse o primeiro jogo do Campeonato Holandês em 2022, por alguns casos positivos de infecção pelo coronavírus. Mas tinha jogadores suficientes para a partida ocorrer, e a federação negou o pedido do clube. Acabou dando certo. O time foi muito mais intenso em campo diante do Willem II, e Thomas van den Belt personificou isso: fez o primeiro gol, já na etapa inicial, e confirmou a vitória na reta final do jogo, com um belo chute. Para uma equipe que quase não jogou na rodada, aprofundar a queda livre do Willem II (já são nove jogos sem vitória para o time de Tilburg na liga neerlandesa) é um começo de ano auspicioso para tentar evitar a queda à segunda divisão.

NEC 0x0 Heracles Almelo (sábado, 15 de janeiro)

Nome do jogo: Rai Vloet (Heracles Almelo)

Num jogo sem muitas emoções, a mais notável delas veio aos 65′: após alguns meses, Rai Vloet veio a campo, substituindo Sinan Bakis. Era a volta do meio-campista ao Heracles Almelo, após afastamento implícito e justificado: sua situação se tornara muito dificultada por uma ação fora de campo – afinal, Vloet guiava o carro que atropelou e matou uma criança de 4 anos, numa autoestrada na região de Almelo, em novembro. O jogador chegou a ser detido, mas foi liberado… e sua volta discreta foi defendida por Frank Wormuth, técnico do Heracles: “Iríamos deixá-lo num quarto até o verão [junho]?”. Mas nem isso melhorou a situação do time de Almelo na tabela. A tal ponto de alguns torcedores terem esperado, em seus carros, do lado de fora do estádio De Goffert (Nijmegen), o ônibus da delegação Heraclied…

Feyenoord 0x1 Vitesse (sábado, 15 de janeiro)

Openda (69′)

Nomes do jogo: Justin Bijlow (Feyenoord) e Loïs Openda (Vitesse)

Durante o primeiro tempo – e boa parte do segundo -, o jogo em Roterdã foi altamente equilibrado. Nada mais esperado, com dois times brigando diretamente logo abaixo da liderança (o terceiro contra o quarto colocado). E enquanto o Feyenoord apostava nas trocas de passes – e em alguns chutes, como de Orkun Kökcü -, o Vitesse chegava perto do gol nas bolas altas, que eram dominadas por atacantes, como Thomas Buitink, que quase marcou. Porém, aos poucos, ficou notório: o Vites estava mais alerta na defesa e no ataque. Os nomes que provaram isso vieram um de cada time. O goleiro Justin Bijlow, titular do Feyenoord e da seleção masculina, já causara perigo com uma desatenção, no primeiro tempo. No segundo, ficou no “deixa que eu deixo” com Marcus Pedersen – e Loïs Openda, a postos, aproveitou e tocou para o gol vazio, garantindo vitória importantíssima para consolidar a boa campanha dos visitantes de Arnhem (só ameaçada por um gol de Guus Til, anulado por impedimento passivo de Cyriel Dessers). Só restou a Bijlow lamentar, após o jogo: “Deixei o time na mão, de novo”.

Twente 2×0 Heerenveen (sábado, 15 de janeiro)

Ugalde (77′), Van Wolfswinkel (88′)

Nome do jogo: Xavier Mous (Heerenveen)

Mesmo com o goleiro Erwin Mulder enfim recuperado de uma fratura no polegar, Xavier Mous recebeu um voto de confiança do técnico Johnny Jansen, mantendo a titularidade no gol do Heerenveen. Pelo menos no começo da partida, Mous justificou plenamente tal voto: fez pelo menos uma grande defesa, em chute de Dimitris Limnios – assim como Lars Unnerstall, goleiro do Twente, evitara um gol de Rami Kaib, no primeiro tempo. No segundo tempo, por mais que os donos da casa pressionassem, Mous ajudava o Fean a se segurar. Porém, um só erro pôs tudo a perder, na reta final. Aos 77′, o goleiro recebeu bola recuada… e se atrapalhou, abrindo espaço para Manfred Ugalde fazer 1 a 0. No fim, de pênalti, Ricky van Wolfswinkel confirmou uma vitória que, no fim das contas, foi merecida, pelo maior volume ofensivo do Twente – e pela infelicidade de Mous.

Go Ahead Eagles 0x2 RKC Waalwijk (sábado, 15 de janeiro)

Stokkers (21′), Kramer (34′)

Nome do jogo: Michiel Kramer (RKC Waalwijk)

Até o jogo em Deventer começar, nenhum gol havia sido marcado nos jogos de sábado pelo Campeonato Holandês – mesmo Feyenoord x Vitesse e Twente x Heerenveen ainda estavam em 0 a 0. O ataque do RKC Waalwijk, suficientemente tarimbado para a partida, resolveu isso. Em primeiro lugar, com Finn Stokkers fazendo 1 a 0, aproveitando um tiro de meta do goleiro Etiënne Vaessen que virou lançamento. Em segundo, com quem melhor simboliza a experiência que o RKC tem: o atacante Michiel Kramer. Tão capacitado para fazer gols (aproveitou falha do goleiro Warner Hahn para o 2 a 0) quanto irreverente em campo – Kramer comemorou o gol com uma curiosa imitação da dança de Samuel Umtiti ao marcar contra a Bélgica, na semifinal da Copa de 2018. Pelo menos, a vitória não correu nenhum risco…

Utrecht 0x3 Ajax (domingo, 16 de janeiro)

Antony (4′), Brobbey (19′, 45′ + 3)

Nome do jogo: Brian Brobbey (Ajax)

O Ajax voltava a campo pelo Campeonato Holandês, após uma atribulação séria nos treinos da pausa de inverno (uma viagem à Quinta do Lago, praia no Algarve, em Portugal, foi abortada após dois dias, pelos muitos casos positivos para o coronavírus). Chegava com pelo menos uma saída relativamente lamentada: ainda que já não fosse mais titular, David Neres ficou por cinco anos no clube, e deixa memórias saudosas com sua ida para o Shakhtar Donetsk. Além do mais, o adversário deste domingo era traiçoeiro: bastava lembrar o 1 a 0 do Utrecht no turno, em plena Johan Cruyff Arena. Mas também bastaram poucos minutos para os Ajacieden notarem que nada disso seria problemático: aos 4′, Antony fez 1 a 0. Mas o destaque apareceu depois: Brian Brobbey. Em sua primeira partida oficial após o retorno temporário ao Ajax, emprestado que foi pelo RB Leipzig, o atacante marcou o segundo, de cabeça, após cruzamento de Dusan Tadic (mesmo quando discreto, importantíssimo). E também o terceiro, agora com os pés, após outro lançamento de Tadic. Depois, os visitantes de Amsterdã reduziram o ritmo. Nem precisavam de mais para a 100ª vitória do time sob o comando de Erik ten Hag, numa grande volta de Brobbey.

Groningen 0x1 PSV (domingo, 16 de janeiro)

Götze (10′)

Nome do jogo: Mauro Júnior (PSV)

Mesmo fora de casa, o PSV começou a sua partida inicial em 2022 impondo a autoridade esperada de um líder do Campeonato Holandês. Pressionou o Groningen, com velocidade na troca de passes – principalmente na esquerda, com Mauro Júnior cada vez mais entrosado na lateral. Dali saiu a triangulação para o 1 a 0: Mauro Júnior deu a bola para Cody Gakpo, este cruzou para Mario Götze, e o alemão escorou para as redes. Houve até chances de ampliar o placar (como num chute de Ritsu Doan que passou perto), enquanto o goleiro Joël Drommel nem teve de trabalhar no 1º tempo. Isso mudou um pouco na etapa complementar. Até porque o Groningen já começou assustando: aos 47′, Laros Duarte cobrou falta no travessão, quase empatando. E à medida que o final se aproximava, o time da casa buscava mais o empate. Só que o PSV segurou a vitória – e a liderança. Valeu muito. Até porque, na próxima rodada, estará à espera o arquirrival e vice-líder Ajax…

Cambuur 1×1 Sparta Rotterdam (domingo, 16 de janeiro)

Joosten (33′) – Dalmau (77′)

Nomes do jogo: Tim Coremans (Sparta Rotterdam) e Adrián Dalmau (Sparta Rotterdam)

O Sparta Rotterdam começou mais ofensivo desde o começo – até por ter contratações elogiáveis, em Adrián Dalmau e Younes Namli. Porém, aos 33′, o Cambuur (reanimado pela volta do técnico Henk de Jong ao banco, após uma licença médica, por causa de um cisto encontrado na cabeça) fez 1 a 0 num daqueles lances que abalam o ânimo de qualquer equipe: Patrick Joosten cruzou para a área, o goleiro Tim Coremans (reserva de Maduka Okoye, titular da Nigéria na Copa Africana) tentou pegar direto… e só pôde lamentar o frango que sofreu. Mesmo assim, o Sparta prosseguiu em busca do empate. Correu mais riscos de tomar o segundo, é verdade. Mas foi afinal compensado, aos 77′, quando Dalmau abrilhantou sua estreia pelo time de Roterdã com o gol de empate. Ficou a impressão de que dias melhores virão para os Spartanen.

Fortuna Sittard 1×2 AZ (domingo, 16 de janeiro)

Rienstra (85′) – Beukema (14′), Sugawara (61′)

Nome do jogo: Sam Beukema (AZ)

O zagueiro Sam Beukema chegou ao AZ como uma promessa da zaga, ancorado no destaque tido na campanha do acesso do Go Ahead Eagles à primeira divisão. Sem Martins Indi no jogo, Beukema foi titular ao lado de Pantelis Hatzidiakos na defesa dos Alkmaarders. Não só deu firmeza à defesa: de cabeça, o jovem foi autor do 2000º gol da história do AZ no Campeonato Holandês. A vantagem ainda correu riscos no primeiro tempo – Seuntjens chegou a mandar a bola no travessão -, mas um erro de Roel Janssen abriu caminho para Dani de Wit passar e Yukinari Sugawara marcar o segundo, aos 61′. A tranquilidade foi perturbada na reta final: um chute de Ben Rienstra, uma falha do goleiro Peter Vindahl, e o Fortuna Sittard fez o seu gol, ganhando esperanças de empate. Mas os visitantes de Alkmaar seguraram a vantagem, garantindo a sexta vitória seguida no campeonato. De leve, o AZ chega cada vez mais…

 

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

SHARE