Fiorentina dá espetáculo, goleia o Napoli na prorrogação e avança na Copa Itália

O futebol é um esporte extremamente tático além de exigir talento e vigor fisico para se atingir o necessário para vencer. A Viola mostrou possuir um grupo extremamente forte e determinado ao vencer com soberania um desfalcado Napoli fora de casa. Uma classificação que traz moral a um time que precisa se levantar para buscar vaga para as competições europeias onde disputa atualmente com Juventus, Roma e Lazio. Já o Napoli liga o sinal de alerta. Sem reforços e os retornos dos titulares Koulibaly, Anguissa, Zielinski, Insigne e Osimhen, terá uma temporada muito modesta e só lamentações.

Primeiro tempo maluco

A partida começou muito intensa com a Fiorentina tomando a iniciativa e buscando se aproveitar das ausências de seis titulares napolitanos e marcar o primeiro gol da partida. Com uma boa diferença técnica, jogadores como Vlahovič, Saponara e o argentino Nicolás Gonzaléz tinham muito espaço ofensivo para chegarem ao gol de Ospina. A Viola pressionava muito e após uma bola na trave do zagueiro Milenkovič, veio o merecido gol.

Aos 41 minutos após bela troca de passes pelo lado esquerdo, Saponara conseguiu passar pela marcação e tocou com inteligência para Vlahovič. O sérvio de 21 anos, considerado uma das grandes promessas do futebol europeu e cobiçado por grandes clubes usou toda a sua categoria para se antecipar a Tuanzebe e finalizou forte no gol, um gol merecido para quem era melhor na partida.

O que parecia ser uma partida controlada pelos visitantes mudou rapidamente pouco tempo depois. Afinal, pelo lado Partenopei estava Mertens e o belga fez questão de mostrar a sua presença marcando um golaço aos 44 minutos, após um presente da defesa da Viola, Petagna tocou para o camisa 14 que bateu colocado anotando um lindo gol. Um empate improvável devido ao péssimo primeiro tempo apresentado pelos donos da casa.

Se o gol do Napoli já era ruim para a Viola, uma expulsão seria ainda pior. Nos acréscimos, depois de um lançamento no ataque o goleiro Dragowski saiu pessimamente da meta e furou o chute. Elmas ia se aproveitar e chegar com condições de virar a partida. Então o goleiro polonês derrubou o atacante adversário sendo corretamente expulso.

A expulsão somada ao gol do Napoli eram tudo que a Fiorentina não queria após fazer um ótimo primeiro. Com isso, teríamos um segundo tempo digno de filme de drama.

 

Segundo tempo: teste para cardíaco

Com um a mais o Napoli veio com tudo ao ataque e passou a buscar mais o gol adversário. A mudança de postura napolitana trouxe espaços para o rápido time da Fiorentina que passou a jogar no contra-ataque, diferentemente do primeiro tempo em que foi protagonista da partida. A pressão dos mandantes não surtiu efeito e logo aos 57 minutos novamente a Viola voltou a ficar na frente do placar.

Em cobrança de falta, Biraghi chutou na barreira, a bola voltou para o lateral que dominou e bateu colocado no gol de Meret que havia entrado no lugar de Ospina, mais um lindo gol na partida.

Spalletti então precisou mexer no time e colocou Fabián Ruiz e Lozano, nos lugares de Demme e Politano. A ideia era se aproveitar da retranca adversária para empatar a partida. Mas para o azar do treinador napolitanos, tudo deu errado. Lozano em um lance revisado pelo VAR, foi expulso depois de um pisão no adversário aos 84 minutos, apenas 20 minutos depois de ter entrado em campo. Se com dez para cada lado era ruim, ficou pior ainda nos acréscimos quando Fabián Ruiz foi expulso após o segundo cartão amarelo.

Depois que Lozano foi expulso a Violaadministrou a vitória e a classificação e quando Ruiz também foi ejetado da partida, passou a entrar na zona de conforto. Esse relaxamento foi perigoso para os visitantes já que nunca se pode desmerecer um time como o Napoli porque mesmo sem 6, 7 titulares o time era perigoso e de fato era natural a Fiorentina deixar o tempo rolar pois tinha um a mais e a vantagem no marcador.

Mas o futebol é maravilhoso por trazer emoção até o fim e aos 95 minutos (partida iria até os 96), em uma falha bisonha da defesa Mertens cruzou rasteiro e a bola passou por dois marcadores e sobrou para Petagna empurrar para o fundo das redes. Um gol muito celebrado no estádio Diego Armando Maradona. A partida chegou ao fim e os dois times iriam cansados para uma prorrogação em que a vantagem numérica foi fatal.

 

Prorrogação: passeio e classificação da Viola

O técnico Vicenzo Italiano percebeu que os jogadores do Napoli estavam mais desgastados que os seus atletas tanto que Spalletti tirou Petagna e colocou Juan Jesus para deixar a defesa mais compacta deixando sinais que queria levar o duelo para os pênaltis. Vendo o treinador adversário tomar uma atitude de recuar o time passou a cobrar mais atenção e pressão dos atletas. As entradas de Piatek, Bonaventura e Maleh, mantiveram a qualidade ofensiva do time e deram o gás necessário para o show que viria na prorrogação.

Primeiro aos 105 minutos (final do primeiro tempo), Maleh fez lindo cruzamento para o lateral Lorenzo Venuti que chegou livre pela esquerda para finalizar de primeira e marcar o terceiro gol da Viola.

Logo aos 108 (começo da segunda etapa) Venuti apareceu novamente livre e desta vez cruzou para Piatek sozinho marcar o quarto gol. Totalmente atordoado o Napoli não tinha reação alguma e com jogadores mais descansados veio o quinto e ultimo gol da Fiorentina e da partida. Maleh anotou com assistência de Ikoné (outro jogador que entrou no segundo tempo do tempo normal).

Uma vitória merecida mas uma goleada surpreendente pois mesmo com tantos desfalques o Napoli não merecia uma goleada tão pesada assim. A classificação foi merecida para um time que mais confiante e mais completo soube apresentar um futebol ofensivo e aproveitou cada oportunidade que surgiu ao longo da partida. Vicenzo Italiano soube armar o time e dar o chacoalhão necessário na sua equipe para jogar uma prorrogação com maestria.

O resultado trará mudanças fundamentais para ambos os times nesta segunda metade da temporada. Afinal para a Viola é uma classificação motivacional que mostra que a Viola tem time para dar trabalho e jogadores para isso. Vlahovič é um atacante espetacular e Piatek tem qualidade para ser um reserva de alto nível e ajudar a equipe a brigar pela Copa Itália e também por vagas nas competições europeias. Enquanto para o Napoli o resultado só escancara a crise que está se instaurando no clube. A saída de Insigne e a péssima movimentação da direção do clube em buscar reforços além de lesões, Copa Africana de Nações que tirou jogadores importantes além da Covid, tudo isso levou o clube ao pior momento na temporada até aqui.

Para o Napoli só resta a Liga Europa e o campeonato italiano. Hoje se enfrentasse o Barcelona a classificação seria improvável. Porém com time completo e mais peças para o elenco tudo pode acontecer. Na Serie A o scudetto está cada rodada mais perto da fortíssima Inter de Milão e uma vaga na Liga dos campeões seria uma obrigação pelos jogadores que tem. Ou seja título mesmo só se for a competição continental que mesmo assim é muito difícil devido a grande quantidade de bons times que tem como Milan, Atalanta, Sevilla, Dortmund, Porto, entre outros.

A temporada promete para ambos os clubes resta saber como cada um vai aproveitar o resultado da partida para trazer aos seus jogadores a motivação e aprendizado necessários para atingirem objetivos grandes na Itália.

SHARE