Além de Agüero, confira outros jogadores que tiveram problemas cardíacos

O atacante Sergio Agüero, de 33 anos de idade, está afastado dos gramados em virtude de um problema no coração e seu futuro como jogador profissional continua incerto. No entanto, caso optar pela aposentadoria, o argentino não será o primeiro atleta a interromper precocemente a carreira por causa de uma enfermidade no coração.

A imprensa espanhola vem cogitando a aposentadoria de Agüero, que foi contratado recentemente pelo Barcelona, mas o novo técnico da equipe catalã, Xavi Hernández, garantiu em uma coletiva de imprensa que as especulações da mídia não são verdadeiras.

Em novembro, o experiente atacante argentino foi diagnosticado com uma arritmia cardíaca e precisará ficar de molho por pelo menos três meses. O caso envolvendo Agüero segue em aberto, tanto que o Barça já comunicou que aguarda os resultados de exames mais detalhados.

Em 2019, o espanhol Iker Casillas, campeão mundial em 2010, teve um problema semelhante ao de Agüero. O ex-goleiro do Real Madrid sofreu um infarto do miocárdio durante um treinamento do Porto e foi submetido a um cateterismo. O ex-atleta se recuperou do problema, mas decidiu pendurar definitivamente as luvas.

Em solo brasileiro, o ex-atacante Everton Costa, que teve passagens por Vasco e Santos, também teve uma arritmia cardíaca e escolheu encerrar precocemente sua carreira de jogador, aos 28 anos de idade. Na época, ele foi diagnosticado com doença de Chagas e até colocou um desfibrilador no coração.

A arritmia cardíaca também impactou diretamente a carreira do ex-goleiro brasileiro Doni, que defendeu a Roma entre 2005 e 2011. No ano de 2013, o ex-jogador da seleção brasileira decidiu parar de jogar pouco tempo depois de ter descoberto o problema cardíaco.

No futebol italiano, um dos casos mais recentes é o do uruguaio Rubén Olivera, que já defendeu Juventus, Fiorentina e Lecce. Na temporada passada, o talentoso meio-campista descobriu um problema no coração e, assim como os outros já mencionados no texto, escolheu não atuar mais profissionalmente. Ele estava no modesto Aprilia, um clube da região central do país europeu.

Se alguns escolheram encerrar a carreira, outros decidiram dar prosseguimento. O atacante Patrik Schick, do Bayer Leverkusen, estava muito próximo de assinar com a Juventus, mas o clube bianconero não aceitou contratá-lo em função de uma enfermidade no coração. O artilheiro tcheco resolveu o problema e foi adquirido pela Roma.

Velho conhecido dos torcedores da Juve, o ex-lateral-direito Stephan Lichtesteiner apresentou uma dificuldade respiratória no fim da sua passagem pela Itália e foi diagnosticado com uma arritmia cardíaca. Felizmente, o problema era benigno e foi corrigido com uma cirurgia. Antes de encerrar a carreira, o suíço ainda jogou por Arsenal e Augsburg.

Outro exemplo é o do meio-campista Jonathan Biabiany. Revelado pela Inter de Milão, o francês teve uma arritmia cardíaca em 2014, quando era jogador do Parma, mas ele continuou com sua carreira e atualmente defende o San Fernando, da Espanha.

O caso envolvendo Christian Eriksen chamou a atenção do mundo inteiro em meados de junho, durante a realização da Eurocopa. No duelo entre Dinamarca e Finlândia, o meio-campista sofreu uma parada cardíaca em campo e precisou ser ressuscitado com um desfibrilador. O episódio levantou novamente a discussão sobre os problemas cardíacos que podem acontecer de forma repentina em jogadores de futebol.

O dinamarquês colocou um desfibrilador implantável para controlar sua arritmia, mas o dispositivo poderá encerrar sua passagem pela Internazionale. Os nerazzurri já confirmaram que Eriksen não jogará na atual temporada por causa do marca-passo e o futuro do meio-campista deverá ser longe dos gramados italianos.

Lenda do Manchester City, Agüero será um dos principais personagens desta nova fase do Barcelona. Até o momento, o talentoso jogador argentino disputou somente cinco partidas pelo clube catalão e marcou um gol.

Foto: Instagram Agüero

SHARE