Eredivisie: os nomes do jogo na 13ª rodada

PSV 2×0 Vitesse (sábado, 20 de novembro)
Sangaré (19′), Bruma (30′)
Nome do jogo: Bruma (PSV)
Até que o Vitesse causou alguns problemas ao time de Eindhoven, nos minutos iniciais. Mas logo o PSV começou a circundar a área de defesa dos visitantes de Arnhem com mais frequência, no decorrer do primeiro tempo. E quando o volante marfinense Ibrahim Sangaré acertou belíssimo chute para o 1 a 0, ficou claro que seria uma tarde-noite fácil para os Boeren. Mas quem merece simbolizá-la foi Bruma. Escapando de uma onda de lesões em todo o ataque (Cody Gakpo com lesão mais séria do que se pensava no tornozelo, Noni Madueke com problemas musculares, Eran Zahavi fora por três meses com problemas no joelho…), o atacante português centralizou as ações ofensivas. Acertou outro bonito chute para o 2 a 0. E sua dupla com Carlos Vinícius se entrosou – até rapidamente. Com a defesa passando incólume (a não ser defesas temerárias do goleiro Joël Drommel, aqui e ali), o PSV conseguiu vitória mais segura até do que se esperava.
Sparta Rotterdam 0x1 Twente (sábado, 20 de novembro)
Van Wolfswinkel (82′)
Nome do jogo: Ricky van Wolfswinkel (Twente)
No primeiro tempo, umas chances para o Twente, outras para o Sparta Rotterdam, mas o fato é que a partida em Roterdã teve poucas emoções. A maior delas, causada pelo VAR – e já no fim do jogo: Michel Vlap caiu após carrinho de Giorgos Masouras, aparentemente inofensivo. Mas para o VAR, foi pênalti – e Ricky van Wolfswinkel converteu, para dar sequência à boa campanha do Twente. Que, de resto, mereceu mais: mesmo com o marasmo, teve um pouco mais de chances de gol
AZ 1×1 NEC (sábado, 20 de novembro)
Aboukhlal (90′ + 2) – Bruijn (9′)
Nome do jogo: Zakaria Aboukhlal (AZ)
A partida em Alkmaar mal tinha começado, e o NEC já tinha 1 a 0 de vantagem no placar: um chute de Ali Akman desviara em Bruno Martins Indi, e Jordy Bruijn ficou livre para abrir o placar. Para completar, aos 15′, o juiz Jeroen Manschot interrompeu o jogo por alguns minutos: à espreita, alguns torcedores do AZ tinham conseguido furar o bloqueio dos estádios para a torcida (tentativas de conter a onda de COVID-19 nos Países Baixos), e acenderam sinalizadores dentro do AFAS Stadion. Esvaziados os espaços, porém, a situação do time da casa seguiu inalterada em Alkmaar. Se não era o goleiro Mattijs Branderhorst salvando o NEC (em dois chutes de Albert Gudmundsson), era a trave, impedindo Vangelis Pavlidis de acertar. De quebra, além de seguro na defesa, o NEC até conseguia avançar – num contragolpe, Jonathan Okita teve até mesmo um gol anulado. Mas os Alkmaarders continuaram tentando. E o empate veio no último minuto, por alguém que talvez precisasse fazer os gols: contestado aqui e ali pela torcida, por alguma displicência, Zakaria Aboukhlal cabeceou para o 1 a 1.
Heracles Almelo 3×1 Fortuna Sittard (sábado, 20 de novembro)
Azzaoui (6′, 30′), Sierhuis (67′) – Flemming (9′)
Nome do jogo: Ismaïl Azzaoui (Heracles Almelo)
Num jogo entre duas equipes penando com a ameaça das últimas posições, acertar a bola no gol era qualidade das mais bem-vindas. E Ismaïl Azzaoui foi o álibi com que o Heracles Almelo contou para despontar, num começo frenético de jogo. Aos cinco minutos, o jogo também foi interrompido pela invasão inesperada de torcedores; aos 6′, Azzaoui fez 1 a 0 com um belíssimo chute; aos 9′, Zian Flemming aproveitou saída apressada do goleiro Janis Blaswich para empatar o jogo. Mas Azzaoui era o nome: aos 30′, num bonito voleio, o atacante belga recolocou os Heraclieden na frente. Só faltava alguém ser tão preciso quanto ele vinha sendo nas finalizações. No segundo tempo, Kaj Sierhuis foi: aos 67′, cobrança de falta certeira do atacante, para garantir a vitória dos donos da casa – e afundar o Fortuna Sittard, penúltimo colocado.
Go Ahead Eagles 0x1 Groningen (domingo, 21 de novembro)
Strand Larsen (50′)
Nomes do jogo: Jorgen Strand Larsen (Groningen) e Franca Overtoom, bandeirinha auxiliar
Fora de campo (ou melhor, rente a uma das linhas), Franca Overtoom fez história no Campeonato Holandês, se tornando a primeira mulher a aparecer na equipe de arbitragem de um jogo da primeira divisão. Dentro de campo, Jorgen Strand Larsen chamava atenção: afinal de contas, surpreendentemente, o atacante norueguês foi escalado como titular, no lugar de Cyril Ngonge, artilheiro do Groningen nesta temporada. E Larsen correspondeu: os Groningers tentaram atacar no primeiro tempo, tiveram chances, sem sucesso, mas logo no segundo tempo, o atacante fez, de cabeça, o gol da vitória que justificou a escolha do técnico Danny Buijs por ele. Na 2000ª partida da história do Groningen na primeira divisão dos Países Baixos, um triunfo para fazer o time respirar contra a zona de repescagem/rebaixamento.
Feyenoord 4×0 Zwolle (domingo, 21 de novembro)
Linssen (6′, 31′), Sinisterra (9′), Til (35′)
Nome do jogo: Bryan Linssen (Feyenoord)
Aos seis minutos, Orkun Kökcü teve espaço para lançar – e Bryan Linssen, espaço para chutar cruzado e fazer 1 a 0. Estava definido precocemente o rumo do jogo: nem mesmo sob novo técnico (Dick Schreuder, no lugar do demitido Art Langeler), o lanterna Zwolle teve competência ou mesmo ânimo para superar um Feyenoord veloz no ataque. As trocas de passe do Stadionclub envolviam completamente a defesa: foi assim nos dois últimos gols. Nomes como Luis Sinisterra (ótima fase do colombiano) driblavam com facilidade. E em 35 minutos, o jogo em De Kuip estava resolvido. O segundo tempo foi disputado como mera formalidade, num dia tranquilo para um Feyenoord totalmente considerável na briga pela liderança – e com um jogo a menos. Tendo como destaque… Bryan Linssen, contestado na temporada passada, um goleador disputando a artilharia da Eredivisie nesta. Como já se disse na torcida, “Linssen pode não ser o atacante que o Feyenoord esperava, mas é o atacante que o Feyenoord tem – e do qual precisa”.
Heerenveen 2×1 Willem II (domingo, 21 de novembro)
Stevanovic (70′), Bakker (76′) – Nunnely (69′)
Nome do jogo: Filip Stevanovic (Heerenveen)
Mesmo jogando em casa, a situação do Heerenveen ficou bastante dificultada logo cedo: já aos 22′, o atacante Anthony Musaba recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso de campo. Ainda assim, o time da Frísia até se segurou, já que o Willem II foi incompetente nas finalizações. Pelo menos, no segundo tempo, os Tricolores de Tilburg conseguiram abrir o placar, com Ché Nunnely. Parecia o ponto final para o Heerenveen. Não foi: no minuto seguinte, Filip Stevanovic finalizou com estilo para empatar o jogo e devolver alguma esperança ao Fean. Bastou para, pouco depois, o zagueiro Nick Bakker fazer o gol de uma virada inesperada. A situação ficou tão a favor do Heerenveen que até mesmo um jogador expulso houve no Willem II (Miquel Nelom)…
RKC Waalwijk 0x5 Ajax (domingo, 21 de novembro)
Haller (17′, 83′), Berghuis (42′, 57′), Timber (74′)
Nome do jogo: Sébastien Haller (Ajax)
Depois de dois jogos sem marcar gols (e amargando empates em 0 a 0, que reabriram a disputa do título holandês), o Ajax tinha algo a mostrar, mesmo com a ótima campanha que faz na Liga dos Campeões. Aos 17′, após 197 minutos sem balançar as redes, Sébastien Haller fez 1 a 0 como melhor sabe: desviando cruzamento, de cabeça, após Daley Blind mandar a bola. A partir daí, foi o habitual: Haller centralizando as finalizações, Antony fazendo boas jogadas pela direita, Dusan Tadic comandando as jogadas ofensivas com giros (assim criou a jogada do segundo gol), nomes mais de trás avançando (como Jurriën Timber, que fez o quarto gol), a entrada de opções habituais na reta final (Davy Klaassen, David Neres, Mohamed Daramy)… enfim, após emperrar nas últimas rodadas, foi mais um dia comum para o Ajax na Eredivisie.
Cambuur 2×1 Utrecht (domingo, 21 de novembro)
Uldrikis (23′), Jacobs (55′) – Sylla (32′)
No começo do jogo, foram vários os nomes do jogo. Melhor seria dizer fora do jogo: vários torcedores do Cambuur fizeram com que a partida fosse mais uma das interrompidas na rodada, em protestos contra o bloqueio parcial (“lockdown”) que os Países Baixos voltaram a viver. Aliás, interrompida duas vezes nos primeiros dez minutos de jogo. Quando a bola pôde rolar, o Cambuur mostrou mais intensidade, mais rapidez pelas pontas, e abriu logo o placar com o letão Roberts Uldrikis (que já começa a tomar o lugar de Tom Boere como “homem-gol” do time de Leeuwarden). O Utrecht teve alguma sorte no empate – o chute de Moussa Sylla desviou no meio do caminho e foi para a rede -, mas o time da casa seguiu melhor. Voltou à frente, com Jamie Jacobs. E conseguiu a vitória que alimenta esperanças inesperadas para os auriazuis. Sétima colocação, dois pontos atrás do Utrecht (4º), terceira vitória seguida: nada mal para o campeão da segunda divisão…

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

SHARE