Fim de uma era: Enrico Preziosi deixa comando do Genoa após 18 anos

Após quase 20 anos no comando do Genoa, o empresário Enrico Preziosi deixou a presidência do tradicional clube italiano. O fundo de investimentos norte-americano 777 Partners assumiu definitivamente o controle do rossoblù e inaugurou uma nova era na equipe genovesa.

Com o objetivo de recolocar o clube de futebol mais antigo da Itália de volta aos eixos, os novos proprietários do Genoa nomearam o professor Alberto Zangrillo, médico-chefe do hospital San Raffaelle, em Milão, como presidente.

Natural da cidade de Lanterna, Zangrillo tem 63 anos de idade e é muito ligado ao ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi. Além disso, o especialista é autor de cerca de 40 livros e possui mais de 800 publicações científicas.

A 777 Partners foi oficializada como a nova proprietária do Genoa em meados de setembro, mas o projeto do fundo de investimentos, que é liderado por Josh Wander e Steve Pasko, teve início em novembro, quando o ucraniano Andriy Shevchenko assumiu o comando técnico do clube no lugar de Davide Ballardini.

Essa foi a primeira grande movimentação da 777 Partners, mas os novos donos do eneacampeão italiano terão uma longa jornada pela frente, pois o Genoa é o 17º posicionado da Serie A e venceu apenas uma das 12 rodadas disputadas. Em janeiro, o rossoblù deverá abrir seu cofre para trazer jogadores importantes para tentar ter uma temporada mais tranquila e conseguir ficar longe da zona do rebaixamento.

No momento, o Genoa tem uma equipe formada por vários atletas experientes, como os “senadores” Domenico Criscito, Valon Behrami e Goran Pandev, mas sem esquecer dos já rodados Felipe Caicedo, Mattia Destro e Salvatore Sirigu. O plantel genovês ainda é composto por algumas jovens peças, entre elas Zinho Vanheusden, Andrea Cambiaso, Nicolò Rovella e Yayah Kallon.

A partir de agora, caberá ao ex-centroavante Shevchenko, que comandará um clube pela primeira vez na carreira, selecionar os jogadores que serão reaproveitados nesta nova fase do Genoa. O clube mira dar um “salto de qualidade” nos próximos anos e reacender o bom futebol do rossoblù.

Muitos planos já estão sendo traçados pela 777 Partners. Até o momento, pelo menos 15 milhões de euros já foram gastos pelo fundo de investimentos, entre pagamentos que estavam pendentes e outras dívidas. Marco Bucci, prefeito de Gênova, também se reuniu com os novos proprietários do clube italiano e discutiram vários assuntos, como uma possível revitalização do Estádio Luigi Ferraris.

A gestão de Preziosi foi marcada por muitos altos e baixos, desde algumas excelentes campanhas na Serie A e o descobrimento de bons atletas até a queda para a Serie C em virtude de uma partida ilegal contra o Venezia na temporada 2004/05 e os recentes protestos da torcida.

Entre os bons momentos, o Genoa conseguiu superar essa fase negativa da sua história e voltou para a elite do futebol italiano. Em 2008/09, ficou em quinto no campeonato, já em 2014/15, finalizou a liga em sexto, mas não disputou a edição seguinte da Liga Europa por não ter conseguido a liberação da Uefa.

Nestes quase 20 anos, alguns jogadores que passaram pelo rossoblù entraram nos corações dos torcedores genoveses, como Rodrigo Palacio, Diego Milito, Thiago Motta, Giuseppe Sculli, Mattia Perin, Marco Borriello, Goran Pandev e entre outros. A equipe italiana também foi responsável por abrir as portas para os técnicos Gian Piero Gasperini e Ivan Juric.

Os momentos ruins começam com a queda para a terceira divisão em virtude do chamado “caso Genoa”, quando o clube se envolveu em um escândalo de manipulação de resultado em um duelo diante do Venezia, em 2005, pela rodada final da Serie B. Nas últimas duas temporadas, o clube italiano se salvou do rebaixamento por muito pouco, pois terminou ambos os torneios em 17º.

Preziosi, um dos grandes personagens do futebol da Itália, saiu de cena para a entrada de mais um investidor do exterior no calcio. O número de clubes com donos estrangeiros na Serie A aumentou para oito, sendo que seis deles são administrados por americanos.

SHARE