Tudor e Simeone são peças-chave do bom momento do Verona

Na 10ª colocação da Serie A e dono de um dos melhores ataques do Campeonato Italiano, o Hellas Verona vem esbanjando boas performances na atual temporada e retomou seu espaço no lado esquerdo da classificação. A chegada do croata Igor Tudor mudou o ambiente do clube e os gols de Giovanni Simeone impulsionaram a boa fase do gialloblù.

Antes de chegarmos ao excelente momento da campeã italiana de 1984/85, é necessário entender um pouco melhor o que aconteceu no período pré-Tudor, que vai da inesperada saída do croata Ivan Juric e passa por outro desastroso trabalho de Eusebio Di Francesco.

O Verona aparentou ter se sentido um pouco perdido com a saída de Juric, que assumiu o Torino depois de ter conseguido deixar os Butei entre os 10 primeiros posicionados nas duas temporadas em que ficou na região do Vêneto. Em busca de um novo comandante, o clube decidiu apostar em Di Francesco, mas sua passagem durou muito pouco em virtude dos ruins resultados no início da liga.

Três derrotas nas três rodadas inaugurais da Serie A foram o suficiente para a diretoria do Verona demitir Di Francesco, que não conseguiu sua desejada redenção. Desvinculado depois de uma conturbada passagem pelo Hajduk Split, Tudor estava disponível no mercado, mas seus apagados trabalhos na Udinese e no futebol turco causaram uma impressão duvidosa em cima do ex-jogador da Juventus.

Apesar disso, a diretoria veronesa decidiu apostar em Tudor, que é compatriota de Juric e possui um estilo de jogo semelhante, caracterizado por muita agressividade no ataque. Mesmo em baixa na carreira, o impacto do croata foi imediato e logo no seu primeiro jogo foi capaz de vencer a Roma, do técnico José Mourinho, por 3 a 2.

A personalidade de Tudor foi capaz de inflamar um promissor time do Verona, que de alguma forma não conseguia expressar todo seu potencial sob o comando de Di Francesco. Aos poucos, o gialloblù foi derrubando gigantes, como Juventus e Lazio, além de ter dado trabalho para os líderes Milan e Napoli. Em oito jogos nos Mastini, o croata registra quatro vitórias, quatro empates e somente uma derrota.

Explosão de Simeone e de outros jogadores

É praticamente impossível escrever ou falar sobre o Hellas Verona e não mencionar o centroavante argentino Giovanni Simeone, filho do técnico Diego Simeone, que vive o auge da sua carreira nestas 12 primeiras rodadas do Campeonato Italiano. Até o momento, Cholito balançou as redes nove vezes em sete jogos e chegou perto de Ciro Immobile, da Lazio, na artilharia da liga.

Revelado pelo River Plate no ano de 2013, Simeone desembarcou na Itália em 2016, quando foi contratado pelo Genoa. Após ajudar o rossoblù a evitar um novo rebaixamento, o argentino foi comprado pela Fiorentina, mas ficou sem espaço na Viola, sendo negociado na sequência com o Cagliari. Sem impressionar na Sardenha, acabou emprestado ao Verona no início da atual temporada.

Assim como a campanha dos Butei, o futebol de Simeone engrenou só depois da chegada de Tudor. O primeiro gol do argentino foi marcado no eletrizante empate em 3 a 3 contra o Genoa, no Estádio Luigi Ferrari, e Cholito não conseguiu frear seu instinto goleador, para a felicidade dos torcedores do Verona.

Simeone foi notícia no mundo inteiro ao marcar os quatro gols da goleada da sua equipe por 4 a 1 em cima da Lazio, sem esquecer os seus dois importantes tentos na vitória pelo placar de 2 a 1 em cima da Juventus. O argentino ainda encontrou as redes diante do Spezia e do líder Napoli.

Um dos principais destaques da atual edição da liga italiana, Simeone sonha em voltar a ser convocado para a seleção da Argentina, que não defende desde 2018. Apesar de não ter sido lembrado pelo técnico Lionel Scaloni para os próximos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo, Cholito quer seguir impressionando para não ser esquecido nas ocasiões seguintes.

Além de Simeone, a chegada de Tudor reacendeu as boas fases de Gianluca Caprari e de Nikola Kalinic, outros dois atletas importantes do Verona. O tcheco Antonín Barák manteve as boas atuações da temporada passada e também desperta a atenção de muitos olhos curiosos.

Ainda é muito cedo para apontar até onde o Verona, um clube que normalmente briga no meio da tabela, pode chegar no fim do campeonato. No entanto, caso conseguir manter o ritmo e surpreendendo os adversários, o time italiano poderá escalar os degraus do lado de esquerdo da tabela e, quem sabe, beliscar uma vaga na Conference League.

SHARE