A grande fase do Bayer Leverkusen

Uma das maiores sensações do futebol alemão – e mundial – nesse início da temporada 21/22 é o Bayer Leverkusen de Gerardo Seoane. Atualmente é o vice-líder da Bundesliga com o mesmo número de pontos do Bayern e só foi derrotado uma vez até então. Seus resultados e desempenhos animam seus torcedores e já alçam a equipe a um possível candidato para bater de frente com o Gigante da Baviera.

Baseado nesta boa fase e no próximo confronto valendo a liderança contra o Bayern de Munique, nós, do MondoSportivo Brasil, tentaremos dissecar e citar os principais pontos que levaram a equipe a esse bom desempenho recente.

FORMAÇÃO

Desde a chegada de Gerardo Seoane, o time vem se estabelecendo no 4-2-3-1. Apesar do esquema não mudar, algumas mudanças nas peças já foram realizadas e se tornaram fundamentais para a boa fase atual. 

No entanto, embora o time esteja bem encaixado, nem todas as posições têm seus donos absolutos. E o maior exemplo disso é a rotação dos nomes em uma das pontas. Um titular nesta posição é Diaby, seja pela esquerda ou pela direita, já do outro lado, a briga é entre o brasileiro Paulinho e o novo contratado Adli; Bellarabi também já teve suas chances, mas parece correr por fora nesta disputa.

Na lateral esquerda já tivemos uma disputa também, mas com a lesão de Sinkgraven, a nova contratação, Bakker, parece cada vez mais consolidada.

Com isso, o time base do Leverkusen, por ora, tem sido o seguinte: Hrádecký; Frimpong, Kossounou, Tah e Bakker; Aránguiz e Demirbay; Diaby, Wirtz e Adli (Paulinho); Schick.

 

COMO JOGA?

O Leverkusen é um time que costuma vencer a maioria de seus jogos fazendo muitos gols. Só nessa temporada já aplicou: 4 a 0 sobre o Gladbach, 4 a 0 sobre o Celtic, 4 a 0 sobre o Arminia Bielefeld e 4 a 1 sobre o Augsburg. Entretanto, apesar das várias goleadas, não é um time que tem o perfil de ser um rolo compressor e encurralar o adversário em seu campo defensivo. Suas vantagens e vitórias são construídas muito mais através de ataques diretos e rápidas transições ofensivas.

É um time fatal quando contra-ataca por conta de seu leve e ótimo setor ofensivo. Mas, além disso, tem ótimos lançadores para acionar seus atacantes, como Demirbay e Aránguiz. No ataque as três principais peças são: Diaby, o mais veloz e principal arma para fazer as transições em campo aberto; Wirtz, o jogador que tem mostrado as melhores tomadas de decisão no elenco, sabe a hora certa de tocar, driblar e/ou finalizar, e, por fim, Schick, o ponto final perfeito para as jogadas com suas precisas finalizações, além de ser volátil o bastante para se locomover muito gerando espaço para quem vem de trás.

O contra-ataque, mesmo sendo uma das principais armas, não é a única forma do Leverkusen agredir seus adversários. Quando a equipe tem a bola, também consegue controlar o jogo a seu favor e explorar suas principais armas, basicamente da mesma maneira. Mesmo quando tem mais a posse de bola, não tem por característica ocupar tanto o campo de ataque; geralmente busca atrair seus adversários para explorar espaços nas costas dos volantes/zagueiros. Não tem muita paciência para rodar a bola, busca sempre ser vertical e rápido em seus ataques.

Outra boa arma tem sido o lateral direito Frimpong. Quando Diaby atua pelo lado direito, ambos formam uma ótima dobradinha por ali. O ponta buscando sua perna esquerda em direção ao centro e o lateral explorando o espaço deixado e atacando o corredor. Com seu ótimo apoio ofensivo, já soma cinco assistências na atual temporada.

 

PRINCIPAL JOGADOR

Quando olhávamos para o elenco do Bayer Leverkusen no início da temporada poderíamos tentar imaginar alguns protagonistas, como Schick, Diaby, Demirbay, entre outros. Mas nem o mais otimista torcedor poderia prever a incrível ascensão de Florian Wirtz.

O jovem alemão de 18 anos é uma peça que vem tendo espaço já desde a temporada passada, mas era sempre uma arma que vinha do banco para ganhar rodagem e renovar o fôlego do time, assim como foi no início desta época. 

Porém, com suas entradas sendo cada vez mais efetivas e decisivas para o resultado final, Wirtz ganhou sua vaga no time titular merecidamente e não largou mais. Tais atuações estão lhe rendendo números e feitos extraordinários: já são treze participações diretas em gols em doze jogos contando clube e seleção (sete assistências e seis gols); é o maior assistente da Bundesliga e o segundo que mais participou de gols; é o jogador que precisa de menos tempo para participar de um gol em toda liga nacional e foi nomeado para o Golden Boy 2021.

É um início de temporada avassalador do garoto, que fez até mesmo Demirbay ter que mudar de posição e jogar mais recuado para que ele pudesse ocupar a faixa central do setor ofensivo, ficando, assim, mais próximo do gol e pisando cada vez mais nas zonas mais decisivas do jogo. 

Sua fase é tão boa que já chamou atenção de grandes times europeus, como o rival local Bayern de Munique, Chelsea, Manchester United e Real Madrid, no entanto, o Leverkusen já declarou que trata o jogador como intocável.

CAPACIDADE DE RENOVAÇÃO

Outro fator vital para a boa fase do time é a capacidade de enxergar bem no mercado peças primordiais para algumas ausências que surgem ou jogadores negociados.

E isso não é de hoje. Lá atrás perdeu Julian Brandt para o Borussia Dortmund, mas soube observar bem o mercado sul-americano e contratou Exequiel Palacios do River Plate, que hoje é reserva, mas já foi titular e ainda tem uma ótima minutagem. Volland que era um dos principais jogadores e artilheiro da equipe foi para o Monaco e como resposta Patrik Schick foi contratado. O jovem tcheco estava em baixa na ocasião, mas o trabalho de desenvolvimento de jovens do Leverkusen mostrou seu valor mais uma vez e elevou o jogador a sua melhor fase, suprindo e até mesmo superando o antigo “camisa 9”. Mais recentemente perdeu Bailey para o Aston Villa, e, com ele, o time via ir embora sua principal arma para puxar seus ataques e desequilibrar pelo lado do campo. No entanto, conseguiu desenvolver Diaby o suficiente para que ele tomasse esse lugar e o time não sentisse tanto a ausência do ex-jogador.

E as peças que pareciam mais difíceis de repor, vão sendo esquecidas aos poucos. Havertz era um jogador fantástico e diferente, uma substituição para o alemão seria muito difícil de conseguir, mas Wirtz está aí para ser a nova grande promessa da equipe. E, por fim, Leno foi embora há um tempo e fez falta em alguns momentos. Hrádecký é um bom goleiro, mas teve seus altos e baixos. Todavia, a fase do coletivo é tão boa que o finlandês talvez viva seu melhor momento atualmente em toda a sua passagem.

Bom mapeamento de mercado, desenvolvimento de jovens e a ótima capacidade de renovação têm sua parcela vital no bom momento recente.

 

PROVA DE FOGO

A fase do Die Werkself é espetacular e já lhe rendeu a liderança momentânea de seu grupo na Europa League e vice-liderança da Bundesliga. Os resultados e atuações têm andado lado a lado, mas a grande prova da equipe ainda está por vir. 

No próximo domingo (17), o Leverkusen recebe o Bayern de Munique na BayArena em um duelo entre líder e vice-líder valendo a liderança da competição. O momento para enfrentar os favoritos do campeonato não poderia ser melhor, afinal o time está embalado e suas peças individuais vivem ótima fase. 

Vale lembrar que, taticamente, pode ser um duelo interessante para o time de Seoane. O Bayern costuma ser o time que ocupa muito o campo ofensivo e aceita correr riscos deixando sua linha defensiva exposta. É o cenário de jogo que o Bayer mais gosta, pois é possível extrair o máximo de suas peças ofensivas explorando os espaços deixados pelo adversário.

Com um cenário adequado e boa fase, o Leverkusen tem a oportunidade perfeita para se provar diante de um grande adversário, provar que pode brigar diretamente pelo título e ainda assumir a liderança. É a oportunidade perfeita.

Standings provided by SofaScore LiveScore

SHARE