Tóquio 2020: Brasil, Espanha, Japão e México avançam para as semifinais e brigam por medalhas

Neste sábado (31), foram realizadas às quartas de final dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Dessa forma, oito seleções estavam na disputa pelas medalhas no Japão. Primeiramente, a Espanha sofreu e lutou até o último minuto do jogo. A seleção espanhola na prorrogação, venceu a Costa do Marfim por 5 x 2. O Japão teve dificuldades, empatou com a Nova Zelândia por 0 x 0 no tempo normal, mas ganhou nos pênaltis. Além disso, Brasil e México classificaram. A seleção brasileira derrotou o Egito por 1 x 0, enquanto os mexicanos passaram pela Coreia do Sul, por 6 x 3.

Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 – Futebol Masculino – Quartas de Final

Espanha 5 x 2 Costa do Marfim

A Espanha chegava para o confronto como favorita. Porém, a Costa do Marfim tem um time muito competitivo, com jogadores principalmente de Serie A e Premier League. Sendo assim, ameaçou surpreender a seleção espanhola logo nos primeiros 10 minutos. Eric Baily, zagueiro do Manchester United, marcou de cabeça, e abriu o placar para a seleção marfinense. Mas a seleção espanhola se ajeitou na partida e conseguiu o empate aos 29 minutos, com Dani Olmo. O meia do Leipzig é um dos seis atletas que atuaram na UEFA Euro 2020, ques estão nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Oyarzabal chegou a virar para a Espanha, mas estava impedido. Já no segundo tempo, a partida foi mais dividida. Até que aos nove minutos, Pedri acertou o travessão. Enquanto tudo estava se encaminhando para a prorrogação, aos 45 minutos, Gradel chutou cruzado, Unai Simón aceitou e a Costa do Marfim voltou a frente do placar. E quando parecia que a seleção africana iria disputar as medalhas, dois minutos depois, Rafa Mir, que tinha vindo do banco, empatou, após falha da defesa marfinense, levando o jogo para a prorrogação com 2 x 2.

No tempo extra, a Espanha aproveitou o emocional abalado da Costa do Marfim para decidir o confronto. Com gols de Oyarzabal, e mais duas vezes de Rafa Mir, a Fúria venceu por 5 x 2 e avançou para às semifinais, e continua a sua busca pelo bicampeonato olímpico.

Brasil 1 x 0 Egito

A seleção brasileira chegava como a líder do Grupo D, enquanto o Egito conseguiu uma classificação histórica, na última rodada do Grupo C. Assim, o controle da partida foi na maior parte da seleção brasileira, com mais posse de bola. Entretanto, o primeiro tempo teve pouca criação de jogadas. Pelo lado egípicio, Tawfik tentou de cabeça, e do lado brasileiro, Antony chutou por cima do gol. Até que em meados da etapa inicial, o Brasil chegou com Richarlison primeiro, exigindo boa defesa do goleiro. Aos 35 minutos, o atacante do Everton fez bela jogada e tocou para Matheus Cunha, do Hertha Berlin, que deixou o dele, abrindo o placar.

Na segunda etapa, o Brasil continuou tendo o controle da partida sobre o Egito, mas perdendo muitas oportunidades de gol. Logo no primeiro lance do segundo tempo, Antony fez bela jogada e a bola sobrou para Claudinho, que chutou mal. Paulinho e Matheus Cunha também tiveram suas chances, mas pararam no goleiro El Shenawy. No final do jogo, os egípcios tentaram impor uma pressão, mas sem sucesso. Final de jogo em Saitama, com vitória brasileira por 1 x 0, para alcançar a quarta semifinal olímpica seguida em nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, e tentar o bicampeonato.

Japão 0 x 0 Nova Zelândia (4 x 2 pênaltis)

A seleção japonesa chegou ao confronto como a favorita, pelo desempenho apresentado na fase de grupos, com três boas vitórias sobre México, França e África do Sul. Sendo assim, do início ao fim, o domínio do jogo foi do Japão contra os neozelandeses. O primeiro tempo da seleção anfitriã foi de não oferecer nenhuma chance ao seu adversário. Por outro lado, o ataque não correspondia, com muitas finalizações, mas poucas no alvo. Com isso, o jogo terminou em 0 x 0, tanto no tempo normal, como na prorrogação.

Nos pênaltis, a seleção japonesa acertou todas as cobranças com Itakura, Ueda, Nakayama e Yoshida. Do lado da Nova Zelândia, Cacace e Lewis perderam suas chances, terminando a disputa das penalidades em 4 x 2 para o Japão, e avançando para as semifinais. Dessa forma, os anfitriões terão a chance de igualar ou passar sua melhor campanha em Jogos Olímpicos, que foi uma medalha de bronze em 1968.

Coreia do Sul 3 x 6 México

Enfim, o jogo mais legal dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. A seleção mexicana chegou ao confronto com um ataque arrasador. Mesmo perdendo para o Japão na fase de grupos, goleou a França e a África do Sul. A Coreia do Sul também vinha de goleada contra Honduras por 6 x 0. Mas logo no início da partida, o México saiu na frente, com gol de Martín, aos 11 minutos. Os sul-coreanos empataram oito minutos depois, com um golaço de Lee Dong-Gyeong, de fora da área, no ângulo do goleiro Ochoa. Entretanto, a seleção da América do Norte logo retomou o controle do jogo e marcou mais duas vezes, com Romo e Córdova, indo para o intervalo vencendo por 1 x 3.

O início de segunda etapa foi movimentado. Aos cinco minutos, Lee Dong-Gyeong marcou o segundo dele no jogo e colocou pressão. Mas o ímpeto da Coreia do Sul durou pouco. Aos nove minutos, Martín marcou o segundo dele no jogo, o quarto dos mexicanos. Aos 17 minutos, Córdova também deixou o segundo dele no jogo. Por fim, no final do confronto, Aguirre marcou o sexto do México, e já nos acréscimos, Hwang Ui-Jo descontou para a Coreia. Final de jogo, com 6 x 3 para os mexicanos, que vão lutar pelo bicampeonato olímpico, e sua segunda medalha em Olimpíadas no futebol masculino.

Semifinais dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020:

  • Brasil x México – Terça-feira (3) – 05h (horário de Brasília) – Kashima
  • Japão x Espanha – Terça-feira (3) – 08h (horário de Brasília) – Saitama

https://twitter.com/FIFAcom/status/1421463193155670017?s=20

SHARE