Análise: Brasil goleia Alemanha

Em jogo com muitos gols, Brasil vence Alemanha por 4×2 e chama atenção por belo jogo de estreia nas Olímpiadas. Sendo assim, para entendermos como o Brasil construiu esse placar e começou muito bem, vamos fazer uma análise apresentando como joga e como se posicionou diante da Alemanha no jogo.

Formação Tática

A seleção brasileira começa com um 4-4-2 simples, com Santos; Dani Alves; Nino; Diego Carlos; Arana. Guimarães; Douglas Luiz; Antony; Claudinho. Matheus Cunha; Richarlison. Durante o jogo as únicas variações táticas que o Brasil faz é quando sobe as linhas para pressionar o adversário (com ou sem a bola) alternando para um 4-1-1-4 com Douglas Luiz de primeiro volante e Bruno Guimarães subindo para ajudar o ataque. Para se defender o Brasil volta para duas linhas de 4 ou até uma linha de 4 e outra de 5 com Douglas Luiz descendo para a defesa ou Richarlison recuando para o meio-campo (dependendo da intensidade e do modelo de jogo adversário).

Peças chaves

Todo o elenco é fundamental para um time, fato. Mas todo time, tem suas peças que fazem funções capazes de mudar o resultado da partida ou são a chave para quebrar a organização do adversário. Na seleção brasileira, esses jogadores que desequilibram o jogo, são importantes taticamente ou trazem a experiência são: Douglas Luiz, Bruno Guimarães, Dani Alves, Claudinho e Richarlison. O Bruno é responsável pela criação de jogadas do ataque e sobe muito para ajudar seus companheiros ou até mesmo pegar as segundas bolas. O Douglas Luiz é quem fica para deixar o Bruno solto para o ataque. Além disso, Douglas Luiz também cobre o Dani Alves, quando o mesmo sobre para o ataque. Claudinho é responsável pelo meio-campo ofensivo. Muito usual, joga em todas as posições do ataque, tem ótimo chute e um passe muito bom. O Richarlison é um dos nossos destaques técnicos. Principal nome do nosso ataque, jogador do Everton e também da seleção principal.

O jogo

O primeiro tempo do Brasil foi de dar água na boca. Com 30 minutos, estava 3×0 (três gols do Richarlison). A seleção engoliu a Alemanha. Com uma linha de 4 defensiva bem aberta, o Brasil usou a velocidade de Richarlison e Matheus Cunha, além dos passes de Bruno Guimarães e Claudinho capazes de quebrar essas linhas, o Brasil fez os 3 gols assim. Matheus Cunha ainda perdeu um pênalti e teve boas chances de gols. No segundo tempo, o Brasil caiu muito de produção e deixou a Alemanha chegar e fazer um gol após falha de Santos. Durante o jogo, a seleção brasileira perdeu muitas chances de gols, conseguia criar, mas não tornava em gol e a Alemanha ganhou com isso fazendo o segundo gol. Depois de mudanças, o Brasil voltou a pressionar a saída de bola, não deixar a Alemanha invadir o lado brasileiro e chegou no quarto gol.

Conclusão

Apesar de ter perdido muitos gols, o que fica do jogo é muito bom. A pressão com ou sem a bola no campo de jogo do adversário, a troca de passes rápidas, os laterais subindo em amplitude e os passes que quebram as linhas de defesas foram muito bem feitos pela seleção. Desse modo, o Brasil sai com a vitória e com a certeza do bom trabalho.

SHARE