Em partida brilhante de Gosens, Alemanha vence Portugal com autonomia

Em uma partida com tantas estrelas, era difícil prever que o nome de mais destaque seria o ala esquerdo alemão, Robin Gosens. O jogador da Atalanta foi a principal arma do sistema ofensivo de Löw e foi fundamental na construção da vitória por 4 a 2 sobre Portugal na Allianz Arena, em Munique. Rúben Dias (GC), Guerreiro (GC), Havertz e Gosens marcaram para os alemães e Cristiano Ronaldo e Diogo Jota para os portugueses.

 

ESCALAÇÕES E EXPECTATIVAS

Alemanha e Portugal optaram por repetir as escalações que utilizaram no primeiro jogo. Assim, Löw foi a campo com: Neuer; Ginter, Hummels e Rüdiger; Kimmich, Gundogan, Kroos e Gosens; Havertz, Gnabry e Müller. E Fernando Santos, apesar das críticas na estreia, foi com: Rui Patrício; Semedo, Pepe, Rúben Dias e Guerreiro; Danilo Pereira e William Carvalho; Bernardo Silva, Bruno Fernandes e Jota; Cristiano Ronaldo.

Portugal entrava em campo dependendo de uma vitória para se classificar para as oitavas, mas o empate não seria um resultado ruim, visto que os franceses não venceram na rodada. Já a Alemanha, precisava vencer a qualquer custo porque, um pouco mais cedo, a Hungria somou um ponto no empate contra a França e empurrou os alemães para a última colocação do grupo.

PRESSÃO TOTAL

Por entrar em campo precisando dos três pontos, a Alemanha entrou no jogo 100% ligada e transferiu a pressão que sofria pra cima de Portugal. Intensidade, volume de jogo, imposição e dominância são termos que podem ser usados para definir os 45 minutos iniciais dos alemães.

A pressão já dava resultado logo aos cinco minutos do primeiro tempo, quando Kimmich inverteu uma bola da direita para a esquerda, pegando Gosens atacando o espaço nas costas da defesa de Portugal para abrir o placar. Tal jogada que seria a tônica do jogo mais à frente. Porém, nesse lance, o VAR interviu e assinalou impedimento do ala esquerdo alemão.

Após o lance, a Alemanha se manteve no campo de ataque criando diversas oportunidades, mas, apesar disso, foi Portugal quem abriu o placar. Aos 15 minutos, após um escanteio da Alemanha, Cristiano afastou de cabeça, deu início a um belo contra-ataque e acompanhou toda a jogada para aparecer no fim e carimbar pro gol.

No entanto, o gol não desanimou os alemães, que continuaram em cima criando jogadas de ambos os lados, alçando bolas na área, chutando de fora da área, etc. Tamanha pressão, enfim, deu resultado aos 34 minutos da primeira etapa, em uma jogada muito parecida com a do gol anulado, porém, dessa vez, Gosens cruzou para dentro da área e Rúben Dias acabou empurrando contra a própria meta.

E o gol da virada não demorou pra sair. Se a Alemanha já impunha um ritmo intenso atrás do placar, após empatar o ânimo e a agressividade subiram e o segundo gol veio quatro minutos depois. Dessa vez a jogada teve origem na esquerda com Gosens servindo Müller, que inverteu para a direita para Kimmich cruzar na área e ver Guerreiro marcar o segundo gol contra da partida.

Apesar dos gols não terem sido marcados pelos alemães, o placar no intervalo refletia o que estava acontecendo no jogo e, talvez, a distância merecesse ser até maior. 

ALTERNATIVAS DE FERNANDO SANTOS

No intervalo, o técnico português optou por sacar Bernardo Silva e colocar Renato Sanches em sua posição com a intenção de que o meia ajudasse Semedo na recomposição defensiva para neutralizar os ataques de Gosens.

No entanto, logo aos cinco minutos (de novo), Renato não ajudou a recompor e o ala alemão recebeu outra bola nas costas de Semedo para cruzar e Havertz marcar o terceiro. A sensação era de que não havia ocorrido o intervalo pois a Alemanha continuou no mesmo ritmo e Portugal, apesar da substituição, seguiu perdido quando tinha a bola e atônito ao tentar marcar os alemães.

Aos doze minutos, Fernando Santos buscou em seu banco mais uma alternativa para parar Gosens. Moveu Renato Sanches para sua posição original, no meio, e trocou William Carvalho por Rafa Silva. O atacante de lado havia entrado bem no jogo contra a Hungria, porém, nesta partida entraria com uma função mais defensiva, a de fechar o lado direito da defesa.

O resultado, logo três minutos depois, foi o quarto gol da Alemanha. Mais uma vez de Kimmich, do lado direito, para Gosens, atacando a área do lado esquerdo sem marcação e subindo para marcar de cabeça.

Fernando Santos até tentou, mas o ala da Atalanta, moldado por Gasperini, foi implacável e gerou todos os gols da Alemanha na partida. Gosens só pôde ser parado pelo seu próprio técnico, quando o sacou junto de algumas outras peças importantes aos 16 minutos. As alterações, provavelmente, foram visando dar um descanso a algumas peças visto que o placar de 4 a 1 era bem confortável.

Porém, sem o time ideal e seu principal jogador, a Alemanha caiu em ritmo e viu Portugal começar a gostar do jogo, ocupando cada vez mais o campo de ataque. Os últimos 20 minutos foram da equipe portuguesa trocando passes no terço final e encurralando o adversário na defesa. O segundo gol até veio, numa cobrança de falta em que a zaga cochilou e Ronaldo escorou para Jota marcar, mas foi insuficiente para evitar a derrota.

https://twitter.com/UEFAcom_pt/status/1406309851207286786?s=20

 

PREOCUPAÇÃO EM PORTUGAL

Após a derrota, a equipe caiu para a terceira posição e corre risco de ficar sem sua classificação às oitavas de final. Mas, além do resultado, as atuações também preocupam. Apesar da vitória por 3 a 0 na estreia, o time deixou a desejar, não conseguiu criar muitas chances claras e foi muito passivo em boa parte do jogo. E hoje, foi engolido pelos rivais alemão durante todo o primeiro tempo e parte do segundo. As críticas já rondam a seleção e, principalmente, Fernando Santos pelas escolhas que tem feito. Agora a equipe precisará provar o ‘status’ de uma das favoritas contra a grande favorita, França, na próxima rodada.

CURIOSIDADES E NÚMEROS

Com os gols contra de Rúben Dias e Guerreiro, essa foi a primeira vez que isso aconteceu na mesma partida em toda a história da Eurocopa. Além disso, os gols também contribuíram para a contagem total do torneio; até agora foram cinco gols contra, o que também é um recorde em uma única edição de Euro.

Já pelo lado dos gols a favor, Cristiano quebrou um marco pessoal de nunca ter feito um gol em Neuer na Alemanha, porém, apesar disso, os alemães mantiveram uma invencibilidade que já dura 21 anos contra os portugueses.

SITUAÇÃO DO GRUPO

Os franceses, apesar do tropeço na rodada, lideram o Grupo F com quatro pontos, seguidos por Alemanha e Portugal com três e Hungria com um.

Na próxima rodada a França jogará por um empate contra Portugal para se classificar e a Alemanha enfrentará a menor força do grupo, Hungria, precisando de uma vitória simples para avançar ou até mesmo um empate dependendo do resultado do outro jogo. Ambas as partidas ocorrem no dia 23 de junho às 16h (horário de Brasília).

Standings provided by SofaScore LiveScore
SHARE