Conheça o Brentford, time que volta à elite do futebol inglês após 74 anos

No último dia 29 de maio, Brentford e Swansea se enfrentaram pelas finais dos playoffs da Championship. A saber, o clube londrino levou a melhor e venceu por 2 x 0, e está de volta a primeira divisão inglesa. Porém, não foi um caminho fácil para isso. Apelidado como as Abelhas, o Brentford ficou fora da elite por 74 anos, e disputará a Premier League (campeonato inglês após 1992) pela primeira vez. Além disso, um planejamento muito forte baseado nas estatísticas fizeram com que mesmo sem um grande orçamento, a equipe fosse competitiva na segunda divisão inglesa. Vamos conhecer um pouco mais sobre este clube do oeste de Londres.

História do Brentford: os primórdios e a passagem pela primeira divisão

Antes de mais nada, o Brentford Football Club foi fundado em 1889, no oeste de Londres. No começo de sua história, o clube frequentou as divisões amadoras do futebol inglês, jogando ligas londrinas e ligas de conferência nacional. Enfim, em 1920, as Abelhas chegaram na Foootball League, ou seja, nas quatro principais divisões da Inglaterra. Naquela época, as terceira e quarta divisão ainda eram dividas por Norte e Sul. Com isso, o Brentford chegou na segunda divisão em 1933, após vencer a terceira divisão Sul.

Na divisão de acesso à elite, o clube teve uma ascensão rápida e conquistou a segunda divisão em 1935 e chegou na primeira divisão. Por fim, entre as melhores equipes do futebol inglês, o Brentford chegou ao 5º lugar na temporada 1935/36, que foi a melhor colocação na história da equipe. O time ficou algumas temporadas na elite, até o rebaixamento na temporada 1946/47, ou seja, há 74 anos. Dessa forma, as Abelhas nunca mais jogaram na liga mais prestigiada do país.

Os longos anos na gangorra das divisões inferiores do futebol inglês

Após o rebaixamento na temporada 1946/47, o Brentford nunca mais figurou na principal divisão do futebol inglês. Por outro lado, o clube viveu longos anos alternando pelas divisões de acesso da Inglaterra. Entretanto, a equipe nunca foi rebaixada para a 5ª divisão, na qual as equipes são divididas por conferências.

Depois do rebaixamento para a segunda divisão, o Brentford viveu outros dois descensos em 15 anos até chegar na quarta divisão novamente, na temporada 1961/62. Um ano depois, as Abelhas conquistaram o título da divisão e foram para a terceira, mas não durou muito tempo. Em 1966, os londrinos sofreram um novo rebaixamento. E essa repetição aconteceu novamente em 1973, após um novo acesso para a atual League One, e novo descenso a League Two.

Enfim, o Brentford se manteve na terceira divisão por um longo tempo. O clube conseguiu o acesso na temporada 1977/78, e não obteve um novo descenso. Por outro lado, conquistar uma nova subida para a segunda divisão não foi uma tarefa fácil. Foram 14 anos seguidos na League One até conseguirem o bicampeonato da terceira divisão em 1992. Agora com o nome Championship, as Abelhas finalmente jogariam a divisão de acesso à Premier League.

Um novo ciclo de acessos e descensos

O Brentford finalmente chegou na Championship em 1992. Entretanto, na temporada seguinte o clube sofreu o rebaixamento para a League One. Dessa forma, mais uma vez o clube passou por acessos e descensos entre terceira e quarta divisão da Inglaterra. Em 1998, as Abelhas retornaram para a League Two, com um novo rebaixamento. Porém, no ano seguinte o time retornou para a League One, onde permaneceu por outras oito temporadas.

Em 2007, o Brentford voltou para a League Two, mas não ficou muito tempo. Na temporada 2008/09, o clube conseguiu o acesso para a League One e conseguiu se manter nos anos seguintes. Enfim, na temporada 2013/14, as Abelhas retornaram para a Championship após 20 anos de ausência. Porém, dessa vez, o clube chegou para ficar e competir.

Temporadas competitivas na Championship e Brentford na Premier League

Dessa vez, o Brentford chegou na Championship não só como mais um candidato para a permanência, mas para competir. Com isso, logo em sua primeira temporada de volta, chegou aos playoffs, como 5º colocado na temporada regular. Entretanto, nas eliminatórias o clube acabou eliminado pelo Middlesbrough, nas semifinais, e nem chegou a Wembley.

Após isso, o Brentford passou algumas temporadas no meio de tabela da Championship, até 2019/20. No ano em questão, as Abelhas chegaram com o 3º lugar no campeonato e disputaram novamente os playoffs. Porém, não foi dessa vez que a Premier League veio, e de uma forma muito triste. A equipe chegou na decisão em Wembley, mas perdeu para o Fulham por 2 x 1 na prorrogação, e o acesso foi adiado por mais um ano.

Enfim, na temporada 2020/21, novamente o Brentford terminou como 3º colocado. Na ocasião, enfrentou o Bournemouth nas semifinais dos playoffs. Apesar de ter perdido o jogo de ida por 1 x 0 e saído atrás do placar no jogo da volta, as Abelhas conseguiram virada incrível no Brentford Community Stadium por 3 x 1 e voltaram a decisão dos playoffs. O novo estádio substituiu o Griffin Park, casa do time londrino por 116 anos. Na final em Wembley, as Abelhas venceram o Swansea e finalmente, voltaram a primeira divisão após 74 anos, e jogarão pela primeira vez a Premier League.

‘Moneyball’, relação com a Dinamarca e o clube de um grande torcedor: os anos recentes do Brentford

Em 2007, um empresário do ramo de apostas fanático pelo Brentford decidiu ajudar o clube emprestando 700 mil dólares. Mas tinha um porém: caso o dinheiro não fosse devolvido, ele teria preferência numa futura venda da equipe. E foi assim que Matthew Benham se tornou dono do clube em 2012, quando as Abelhas estavam na League One. Com isso, o inglês tinha em suas mãos o time em que cresceu torcendo.

Benham é formado em finanças pela Universidade de Oxford e até chegou a ser o vice-presidente do Bank Of America, nos Estados Unidos. Entretanto, após anos no mundo econômico, passou a investir nas apostas esportivas, no qual conseguiu muito sucesso. Como? Analisando os esportes através de previsões estatísticas e algorítmicas. Dessa forma, após comprar o Brentford, o empresário passou a adotar essa filosofia de probabilidade no clube.

Somado a isso, a equipe passou a investir muito em análise de desempenho, para ajudar nessa parte estatística dentro do clube. Como o Brentford não é um dos maiores orçamentos nas ligas onde passou, o trabalho de mapeamento de jogadores com custo-benefício bom por parte da equipe foi fundamental. Said Benhrama e Ollie Watkins são exemplos disso. Os dois atletas se destacaram, e hoje estão na Premier League, em West Ham e Aston Villa, respectivamente. Mas não foi apenas o trabalho com os números. Uma parceria de Benham com um dinamarquês fez muito sucesso dentro do time do oeste de Londres.

Benham e Ankersen: uma parceria de sucesso

O dinamarquês Rasmus Ankersen, que escreveu livros focados na análise de desempenho, foi uma das pessoas que Matthew Benham trouxe para o Brentford como diretor. Além da parceria na Inglaterra, ambos também comandam o Midtjylland, da Dinamarca, que vem conquistando títulos na Escandinávia, com o mesmo trabalho. E nisso que o futebol dinamarquês passou a fazer parte da equipe do Oeste de Londres. A começar pelo técnico da equipe, Thomas Frank, de 47 anos. O treinador chegou as Abelhas em 2016 como assistente, após trabalhar no Brøndby IF. Por fim, sete jogadores do atual elenco são dinamarqueses.

https://twitter.com/BrentfordFC/status/1400760125221183496?s=20

Destaques da temporada 2020/21 do Brentford

Enfim, falaremos de alguns destaques da equipe que conseguiu o acesso para a Premier League 2021/22. Primeiro, a campanha do Brentford foi de 24 vitórias, 15 empates e 7 derrotas na Championship. Dessa forma, chegou aos 87 pontos e ficou na 3ª posição, conseguindo o acesso para os playoffs. Sobre jogadores, Ivan Toney é sem dúvidas o grande destaque. O atacante terminou com 31 gols no campeonato e foi o artilheiro. Além disso, foi o jogador que mais participou de gols nas Abelhas, com 41.

O inglês foi também o líder de assistências da equipe ao lado de Bryan Mbeumo, com 10 passes para gol a cada. Além disso, o Brentford terminou com o melhor ataque da Championship, com 79 gols marcados em 46 jogos. De forma resumida, todos estes aspectos, com uma proposta de jogo de posse de bola e controle das ações, fizeram com que os 74 anos de espera terminassem, e o clube conseguisse enfim, voltar a Premier League.

SHARE