Tradicionais campeões da Alemanha estarão na Bundesliga II em 21/22

É normal nas rodas de conversas ouvir que a Bundesliga – ou Campeonato Alemão – é sem equilíbrio, haja visto o domínio recente do Bayern de Munique, enfileirando conquistas e mais conquistas. Mas quem vê, talvez não saiba, que a Bundesliga IIou Segunda Divisão – terá uma edição com tradicionais clubes do futebol alemão. E tem clube que até já fez história pela Europa e pelo mundo. Se a Bundesliga está desequilibrada, pode ter certeza que o que espera pela Segundona na temporada 21/22 deve ser tradição e equilíbrio.

Ao olhar a tabela ou assistir uma partida, algum desavisado pode achar que estará vendo futebol de elite da Alemanha. Imagine ligar sua TV e se deparar com um confronto entre Schalke 04 x Werder Bremen, duas das maiores torcidas do país. Pois é. Esse confronto vai ocorrer, mas pela Bundesliga II, com o Hamburgo SV assistindo e disputando lado a lado por umas das três vagas na elite. Isso sem falar nos tradicionais Fortuna Dusseldorf, Nuremberg, Karlsruher e Hannover 96. 

ENXURRADA DE TÍTULOS NAS DIVISÕES INFERIORES

Não tem como negar que o Bayern de Munique está a passos largos como a maior potência do futebol alemão. A equipe bávara já ficou com o troféu alemão em 31 oportunidades. Porém, o clube praticamente centraliza a quantidade de campeonatos disputados em toda a história. Para a temporada 21/22, se tirar o Bayern de Munique, serão 27 conquistas na elite. Isto é, sem os tradicionais clubes, o Bayern sozinho tem mais títulos do que todos os outros que disputam a elite. O clube que mais se aproxima é o Borussia Dortmund, com seis canecos, cinco vezes menos do que os bávaros.

Entretanto, com tanta tradição na Bundesliga II, os clubes que por lá estão poderiam rivalizar todos contra o Bayern. A começar pelo Nuremberg, o segundo maior campeão do país, com nove conquistas. Logo depois, o Schalke 04 soma sete, seguido por Hamburgo com seis, Werder Bremen com quatro, Hannover 96 com duas, Dusseldorf e Karlsruher com um troféu. Se os clubes da elite somam 27 taças, os da Segundona possuem em sua coleção um total de 21 conquistas. 

E o número poderia ser ainda maior, porque o Kaiserslautern está na terceira divisão e soma quatro títulos e o Munique 1860, com um não subiram. Além disso, o Eintracht Braunschweig acabou sendo rebaixado, enquanto o Greuther Fürth foi promovido para a primeira divisão. Os dois possuem um e três títulos, respectivamente.

Na elite, o Stuttgart, que tem cinco, esteve na Bundesliga II na temporada 19/20 e foi vice-campeão, o que mostra um equilíbrio. Quem já passou por lá também recentemente foram o Borussia Mönchengladbach, que foi campeão cinco vezes, o Hertha Berlin, que tem duas taças, e o Union Berlin, campeão uma vez da elite.

AINDA TEM DEFINIÇÃO COM TRADIÇÃO

A Bundesliga II ainda pode ganhar mais um reforço de peso. O Köln (Colônia) está disputando os playoffs do rebaixamento. Campeão da elite em três oportunidades, a equipe vai medir forças com o terceiro colocado da última edição da segunda divisão, o Holstein Kiel, que também já fez sua “graça” na elite alemã, quando conquistou o título no início do século, em 1912. Contudo, apesar de ter essa taça em sua galeria, a equipe de Kiel não é uma das tradicionais da Alemanha e possui a maior parte de sua existência disputando as divisões de acesso.

No confronto, o peso da camisa e da torcida pode fazer a diferença. A equipe que possui como torcedor e um dos maiores ídolos, Lukas Podolski, o Colônia precisa deixar para trás o tempos de altos e baixos que vive ultimamente. Na temporada 2018/19, por exemplo, a equipe figurou na Bundesliga II e ficou com o título garantindo o acesso. Dois anos depois, pode retornar ao seu calvário e ser mais um tradicional clube na próxima edição.

CAMPEÃO EUROPEU SEM RUMO

Um dos maiores nomes do futebol mundial vive uma de suas maiores crises já vista. Se o Schalke 04 passa por um momento conturbado, que pode fazer com que a equipe amargue muitos anos na segunda divisão, o Hamburgo SV vive situação parecida e vai para sua terceira temporada disputando o acesso.

Rebaixado na temporada 17/18 – pela primeira vez na sua história – a equipe bateu na trave nas três edições e sequer conseguiu chegar aos playoffs, ficando todas as edições na quarta colocação e não conseguindo o acesso e nem lutar por uma chance de chegar até a Bundesliga. 

Afundado em dívidas, o Hamburgo viveu seus tempos áureos no final dos anos 70, início da década de 80, quando venceu três dos seus seis títulos nacionais, além da Liga dos Campeões da Europa, em 1982/83, diante da Juventus (ITA), perdendo a chance de ser campeão mundial no Japão para o Grêmio, com show de Renato Gaúcho, autor dos dois gols na vitória por 2 a 1. Neste momento, não há uma luz no fim do túnel e a volta do Hamburgo ainda é uma incógnita.

TRAGÉDIA ANUNCIADA: A QUEDA DO WERDER BREMEN

O rebaixamento consumado do Schalke 04 não foi a única tragédia anunciada na temporada 20/21. A queda do Werder Bremen também foi galgada aos poucos pelo clube que demorou para se mexer e assistiu passivamente um dos episódios mais tristes de sua história. Campeão da Bundesliga em 2003/04, capitaneados pelo brasileiro Ailton – artilheiro com 28 gols da competição – os Papagaios nas dez edições anteriores do campeonato, nunca ficou acima da oitava colocação e, por quatro vezes, figurou entre os seis últimos – disputando os playoffs contra o descenso em 2019/20 contra o modesto FC Heidenheim e só conseguiu se manter pelo gol qualificado, após empatar em 0 a 0, em Bremen, e por 2 a 2 na casa do rival.

Uma série de derrotas seguidas, com troca de técnicos e falta de reação, dessa vez sacramentou a queda. Se nos últimos dez anos a equipe passou perto, dessa vez nada pode salvar. Diferentemente da maioria dos rivais, o Werder ainda possui uma boa saúde financeira, o que pode ajudar para um retorno imediato para a elite, assim como foi com o Stuttgart quando esteve por lá.

DERBY DO NORTE VIVERÁ MOMENTOS MELANCÓLICOS NA BUNDESLIGA II

Se o Hamburgo não consegue seu acesso, seu rival vem até ele. Um dos principais clássicos do futebol alemão vai acontecer pela primeira vez na Bundesliga II. Hamburgo e Werder Bremen vão medir forças. As duas equipes são tradicionalmente grandes rivais, por ambas estarem no norte do país. O clássico, em alemão, é conhecido como Nordderby e coleciona grandes jogos e uma rivalidade de causar inveja para qualquer grande derby pelo mundo afora.

A começar pelo confronto nas semifinais da Liga Europa, na temporada 2008/09. Os rivais se encontraram em dois jogos emocionantes, com vaga assegurada ao Werder Bremen. Após perder em casa por 1 a 0, a equipe foi até Hamburgo e despachou o rival com uma sofrida vitória por 3 a 2, com direito a gol do brasileiro Diego, do Flamengo, e confirmou a vaga na grande decisão. Apesar de viver um bom momento, o Werder Bremen foi derrotado na final pelo Shakhtar Donestk, da Ucrânia, por 2 a 1, ficando com o vice-campeonato europeu.

Ao todo, os times se enfrentaram em 154 oportunidades, com 57 vitórias do Werder, 53 do Hamburgo e 44 empates. O último confronto foi em 2018, com triunfo do Bremen por 1 a 0, pela Bundesliga.

SÉRIE B DO BRASIL COM VENCEDORES DA ELITE

Ao redor do mundo, diversas equipes que conquistaram o título da primeira divisão hoje figuram em divisões inferiores. Principalmente campeonatos centenários, que possuem clubes que faturaram títulos no início do século e nunca mais chegaram à elite. Porém, na Alemanha, o fato não é esse. Tanto que Hamburgo e Werder foram campeões nos anos 80 e 90, além do Kaiserslautern – na terceira divisão – campeão na década de 90. Neste quesito, a Série B do Brasil se assemelha com a Bundesliga II.

Neste ano, por exemplo, tradicionais clubes como Botafogo, Cruzeiro e Vasco estão na segundona. Só os três juntos somam dez conquistas do Brasileiros, sendo a Raposa bicampeã em 2013 e 2014. Além deles, o Coritiba e o Guarani disputaram a Série B e já faturaram a Série A, somando um total de 12 títulos da elite.

Neste quesito, o futebol alemão ultrapassa o brasileiro, pois são mais de 20 conquistas, porém nivela por cima – no sentido de tradição – a sua divisão de acesso. Que vençam os melhores!

SHARE