Sporting, fim do jejum da melhor maneira possível

Após 19 anos, o Sporting Clube de Portugal se sagrou campeão português após bater o Boavista por 1 a 0. Muito além do título, a equipe conquistou a taça de maneira invicta, vencendo 25 jogos e empatando outros 7 nas 32 rodadas disputadas. Mesmo com duas rodadas para acontecer, até o momento o título foi de maneira invicta.

A forma como o jejum dos Leões se encerrou não poderia ser melhor. Tudo começou ainda no final da temporada passada, quando o clube pagou €10 milhões para tirar o jovem técnico Ruben Amorim do Braga e iniciar uma nova história. Muitos ficaram com um pé atrás pela quantia paga pelo Sporting por um treinador tão jovem (35 na época) e que estava apenas iniciando sua carreira na profissão. Mas a escolha não poderia ter sido melhor.

Desde o início, o casamento foi perfeito, com Amorim aplicando variações no esquema da equipe, mas encontrando no sistema de 3 zagueiros a melhor forma de achar uma regularidade. Além disso, algo que merece ser ressaltado é o grande mérito do treinador de utilizar bons talentos jovens e da base com mais frequência e importância, como o lateral-esquerdo/ala Nuno Mendes, lateral-direito/ala Pedro Porro, zagueiro Gonçalo Inácio e, principalmente, o meia-atacante Pedro Gonçalves, grande reforço para a temporada e grande talento técnico da equipe. Não foi um time que investiu muito, mas investiu certo.

Além disso, outros jogadores experientes e que não estavam na sua melhor fase ganharam força nas mãos de Amorim, como o volante João Palhinha, grande meio-campista do futebol português na temporada, o goleiro Adán e o zagueiro (capitão) Sebastián Coates, que virou um gigante e liderou a melhor defesa do campeonato. Até a preparação deste texto, o Sporting tomou apenas 15 gols em 32 partidas, menos de 0.5 por jogo.

Os Leões foram incríveis do início ao fim da campanha do título, com um futebol altamente intenso e eficiente. Mesmo não sendo uma equipe altamente vistosa de se ver, sempre foi um conjunto muito competitivo, que sufocava o adversário, não cedia espaço quando estava em se bola. Na defesa, Adán (ou Luis Maximiano) fez grande temporada na meta, seguro por uma linha de 3 zagueiros muito bem alinhada com Inácio, Coates e Feddal.

Mais a frente, uma linha de quatro formada por Pedro Porro, João Mário, João Palhinha e Nuno Mendes, com os alas muito presentes no momento ofensivo e a dupla de meias/volantes tendo totalmente o controle das ações no centro do campo, se completando bem. Mais a frente, Pedro Gonçalves e Nuno Santos proveram muita criatividade e altíssimo rendimento, tendo Paulinho como referência. Time muito coeso e inteligente.

Regularidade e competitividade. Essas são as duas palavras que resumem o título invicto do Sporting na temporada 2020/21. Um time que conseguiu manter um alto rendimento durante toda a campanha, mesmo sem nomes “grandes” no elenco. A base foi um time que conseguiu encontrar a perfeita sintonia em nomes experientes e jovens que, cada vez mais, vão amadurecendo e tendo seu destaque, além de um técnico com potencial gigantesco e que promete atrair interesse de grandes clubes em breve. Título merecido e da maneira que nem o torcedor mais otimista esperava. Valeu a pena esperar estes 19 anos.

Standings provided by SofaScore LiveScore

SHARE