Pirlo segue no comando da Juventus, mas até quando?

Tudo muda para que nada mude, ou melhor, vice-versa, nada muda, AGORA, para que tudo se revolucione no final do campeonato. Depois de tudo, retirar o cargo de Andrea Pirlo nos últimos momentos, seria quase inútil, tendo em vista que não haveria alternativas à altura para a Juventus.

A Juve precisa fechar a atual temporada e pensar na próxima, e quem sabe se haverá uma próxima. Relembrando o caos da Superliga, o presidente da Federação Italiana de Futebol (Figc), Gabriele Gravina, já se pronunciou e não foi benevolente com a Velha Senhora, que poderá ser excluída da Serie A se não der um passo para trás e, porque não, também um belo pedido de desculpas.

Voltando ao Pirlo, a reunião da manhã da segunda-feira (10) com a diretoria e a presidência trouxe um aperto de mãos entre as partes, mas absolutamente provisório, porque a “Pirlolândia” está com os portões fechados desde o início da temporada, e no final desta presume-se que tudo será revolucionado.

Ninguém jamais poderá negar que a escolha de Pirlo, imaturo para treinar um clube de ponta, também foi feita para justificar um ano sem vitórias, mas olhando para a classificação, podemos dizer com segurança que ele foi além das expectativas mais sombrias.

SHARE