Um jogo e um parágrafo: a 32ª rodada da Eredivisie

Sparta Rotterdam 3×0 Vitesse (sexta-feira, 7 de maio)
Smeets (36′), Thy (77′) e Emegha (80′)
Destaque do jogo: Smeets (Sparta Rotterdam)

Bem que o Vitesse buscou o gol, nos lances habituais do time de Arnhem – por exemplo, uma cobrança de falta de Oussama Tannane, aos 11′. Só que o Sparta também se valeu do seu ponto forte comum: os rápidos contra-ataques. Num deles, aos 17′, Bryan Smeets só não fez o gol porque Jacob Rasmussen tirou a bola na pequena área.

Depois, aos 20′, Sven Mijnans chutou perto. E aos 36′, de cabeça, enfim Smeets colocou o 1 a 0 no placar para o time da casa. Que seguiu rondando o gol, quando a etapa final começou, num chute de Lennart Thy, aos 48′. Depois, o Vites foi buscar mais frequentemente o empate. Teve a melhor chance aos 68′, quando Riechedly Bazoer mandou a bola no travessão.

Mas justamente quando os visitantes de Arnhem mais estavam perto do 1 a 1, Thy fez o segundo do Sparta, aos 77′. Três minutos depois, Emmanuel Emegha começou e acabou um contra-ataque, fazendo o 3 a 0 que empolga o Sparta, buscando os play-offs pela Conference League.

Twente 1×1 Heracles Almelo (sábado, 8 de maio)
Knoester (70′) – Danilo (85′)
Destaque do jogo: Vloet (Heracles Almelo)

Fora uma tentativa de Noah Fadiga, aos 7′, o primeiro tempo do clássico regional em Enschede quase foi todo de marasmo. Quase: do meio até o fim, o Twente decidiu arriscar. Nem tanto no chute fraco de Thijs van Leeuwen, aos 23′. Mas sim no arremate de Danilo, aos 25′, e principalmente nas tentativas de Luka Ilic e Danilo, no minuto seguinte – Ilic cabeceou na trave, e Robin Pröpper bloqueou Danilo na sobra. Ao Heracles Almelo, só um chute de Rai Vloet, aos 40′.

A etapa final teve histórico parecido: a primeira chance de gol surgiu só aos 66′, com Ilic para o Twente. Porém, quando o Heracles voltou a atacar, foi para fazer 1 a 0, aos 70′ – grande cabeceio de Mats Knoester. O time da casa quase teve alívio aos 79′, num pênalti em Queensy Menig – só que o VAR anulou (no começo da jogada, o goleiro Joël Drommel cobrara tiro de meta com a bola rolando). Só aos 85′, em belo chute de Danilo, no ângulo, o Twente se aliviou. Mas o empate foi lamentado por ambos.

Heerenveen 0x0 Utrecht (sábado, 8 de maio)
Destaque do jogo: Van de Streek (Utrecht)

Só aos 24′ é que o jogo começou a esquentar – por mérito de Mitchell van Bergen, que teve a primeira chance de gol (um cabeceio, para fora).

O Utrecht reagiu aos 31′, num cabeceio de Sander van de Streek, para fora. E se o Heerenveen devolveu com Siem de Jong, num chute aos 40′, Van de Streek trouxe o maior perigo do jogo até então, com um chute na trave, aos 45′.

No segundo tempo, o rumo das coisas foi parecido. No começo, Van de Streek levou os visitantes mais perto do gol (fez o goleiro Erwin Mulder trabalhar aos 60′ e aos 64′).

Aí, vindos do banco, os dois Veerman, Joey e Henk, fizeram o Heerenveen crescer no jogo. Aos 70′, Henk tentou; aos 82′, ficou mais perto; e nos acréscimos, Benjamin Nygrén até marcou, mas estava impedido. Poderia ter sido a única emoção, num jogo morno.

AZ 1×0 Fortuna Sittard (sábado, 8 de maio)
Gudmundsson (29′)
Destaque do jogo: Bizot (AZ)

No começo, a dificuldade do AZ veio numa lesão: já aos 12′, o zagueiro Timo Letschert torceu o tornozelo e teve de sair. Ainda assim, o time da casa dominou em Alkmaar. Calvin Stengs, por exemplo, quase fez, aos 23′, cabeceando na rede pelo lado de fora.

E finalmente, aos 29′, uma saída desastrada do goleiro Yanick van Osch para cima de Jesper Karlsson rendeu o pênalti, que Albert Gudmundsson converteu para o 1 a 0. De quebra, aos 41′, um chute cruzado de Karlsson quase rendeu o segundo gol.

Todavia, bastou o segundo tempo começar para uma nova dificuldade vir ao AZ: substituto de Letschert, Ramon Leeuwin cometeu falta e levou o cartão vermelho logo aos 50′. O time de Alkmaar passaria 40 minutos com dez. Lógico, o Fortuna Sittard partiu tentando o empate, com um pouco mais de pressão.

Aí entrou Marco Bizot: o goleiro do AZ pegou chutes de Mats Seuntjens (67′) e Zian Flemming (70′ e 84′). E a vitória, mesmo “magra”, mantém os Alkmaarders disputando a vice-liderança.

VVV-Venlo 3×3 RKC Waalwijk (sábado, 8 de maio)
Giakoumakis (4′), Joshua John (44′) e Van Crooiij (75′) – Oosting (14′) e Ngonge (32′, 85′)
Destaque do jogo: Van Crooij (VVV-Venlo)

No primeiro “duelo direto” na disputa contra o rebaixamento, o VVV-Venlo não poderia começar melhor: aos 4′, Georgios Giakoumakis já fazia 1 a 0 (seu 25º gol nesta Eredivisie). De quebra, Simon Janssen quase fez, aos 6. Só que o RKC Waalwijk teve mais a bola, e em duas rápidas jogadas, virou o jogo, com Thijs Oosting empatando aos 14′ e Cyril Ngonge fazendo 2 a 1 aos 32′ (falha de Leon Guwara no começo).

Aí, a reviravolta veio a favor do time da casa: ainda antes do intervalo, aos 44′, em jogada bem semelhante ao primeiro gol, Joshua John empatou. E no segundo tempo, tirando uma tentativa de Anass Tahiri aos 52′, o VVV foi mais à cata do terceiro gol. Vito van Crooij tentou aos 56′, duas vezes, Giakoumakis buscou aos 65’… e aos 79′, de cabeça, Van Crooij pareceu fazer o gol da salvação, em nova virada.

Só pareceu: aos 85′, numa cobrança de falta, Giakoumakis – logo quem?! – pôs a mão na bola na área. Pênalti, e Ngonge decretou o empate. O drama continuará para ambos…

Emmen 0x4 Groningen (domingo, 9 de maio)
Van Hintum (28′), Da Cruz (52′, 63′) e Abraham (82′)
Destaque do jogo: Robben (Groningen)

Bem que o primeiro tempo começou equilibrado. Pela primeira vez titular desde que voltou da lesão muscular, Arjen Robben deu a primeira estocada, logo a um minuto. Depois, Sergio Peña respondeu para o Emmen, aos 3′ – e no minuto seguinte, Mohamed El Hankouri já respondeu, chutando no travessão.

Aos poucos, o Groningen passou a dominar. Fez 1 a 0 aos 28′ (Bart van Hintum, de cabeça), e teve chance para mais – com Robben aos 34′ e El Hankouri, aos 36′. Mas foi no segundo tempo que Robben mostrou como o Groningen fica melhor com ele. Aos 52′, cruzou para Alessio da Cruz fazer 2 a 0. E aos 63′, a dobradinha se repetiu: passe preciso de Robben, e Da Cruz só teve de tocar na saída do goleiro Michael Verrips para o 2 a 0.

De quebra, antes mesmo do segundo, Ahmed El Messaoudi já acertara a trave, aos 53′. O Emmen teve suas chances (Caner Cavlan aos 76′, Michael de Leeuw aos 78′), mas Paulos Abraham, recém-saído do banco, transformou a vitória em goleada, aos 82′. Àquela altura, o destaque do jogo já tinha sido substituído: Arjen Robben, com dois passes para gol. Ele sabe…

Feyenoord 0x3 Ajax (domingo, 9 de maio)
Senesi (contra, 21′), Haps (contra, 67′) e Kudus (79′)
Destaque do jogo: Timber (Ajax)

Diante de um arquirrival já campeão holandês, o Feyenoord bem que tentou começar acelerando o jogo – e criou a primeira boa chance, aos 8′, num chute de Bryan Linssen. Todavia, mesmo devagar, mantendo a bola, o Ajax deu a primeira estocada com Noussair Mazraoui, aos 19′. E como a fase anda boa, o 1 a 0 do campeão holandês veio na sorte: num escanteio aos 21′, o goleiro Justin Bijlow tentou rebater, mas a bola ricocheteou em Eric Botteghin, em Marcos Senesi, e entrou.

O Feyenoord só teria chance num polêmico pênalti, aos 45′: em bate-rebate após falta de Orkun Kökcü, a bola bateu na mão (ou no ombro…) de Edson Álvarez, que foi expulso. Mas Maarten Stekelenburg resolveu as coisas: o goleiro do Ajax pegou a cobrança de Leroy Fer.

Na etapa final, a vantagem numérica do Feyenoord acabou quando Tyrell Malacia foi expulso, aos 60′. Pouco depois, aos 67′, contra-ataque acelerado, e Ridgeciano Haps (que acabara de entrar) cometeu mais um gol contra: 2 a 0. E aos 79′, um erro de Fer no meio abriu espaço para uma triangulação David Neres-Dusan Tadic-Mohammed Kudus, cabendo ao ganês completar a vitória no clássico. O campeão Ajax segue tranquilo. O Feyenoord, pessimista.

Zwolle 0x1 ADO Den Haag (domingo, 9 de maio)
Adekanye (12′)
Destaque do jogo: Adekanye (ADO Den Haag)

Pelle Clement bem que trouxe o primeiro perigo do jogo, mandando a bola para fora num chute perto do gol, logo aos 3′. Ainda assim, o ADO Den Haag se segurou. E quando foi à frente, aos 12′, já foi para marcar: Bobby Adekanye fez a jogada individual e só parou quando chutou, da entrada da área, para o 1 a 0.

Gol fundamental para os visitantes de Haia jogarem como preferiam: na defesa, se protegendo dos avanços do Zwolle. Trabalho facilitado: no resto do jogo, o time da casa teve pouquíssimas chances. Digna de nota, só um chute de Immanuel Pherai na trave, já aos 77′. De quebra, o Den Haag quase marcou nos últimos minutos, com Shaquille Pinas, aos 80′, e Nasser El Khayati, aos 85′.

El Khayati até levou amarelo na jogada, ao simular pênalti. Mas isso em nada prejudicou a segunda vitória seguida do ADO Den Haag – ainda na última posição, mas só um ponto atrás do VVV-Venlo, penúltimo colocado, e dois atrás do Emmen. A salvação ainda é possível.

Willem II 0x2 PSV (domingo, 9 de maio)
Malen (26′) e Köhn (contra, 51′)
Destaque do jogo: Madueke (PSV)

Mesmo sem Mario Götze nem Eran Zahavi (este, com a casa assaltada em Amsterdã), o PSV rapidamente tomou o domínio. Noni Madueke começou se destacando aos 20′, com chute perigoso, que resvalou na trave. Mas o primeiro gol dos visitantes veio aos 26′ – Yorbe Vertessen, titular neste domingo, começou a jogada, mas a sobra ficou para Donyell Malen chutar cruzado.

Depois, aos 40′, Madueke quase fez, de novo – o goleiro Arijanet Muric espalmou, e no escanteio subsequente, Vertessen teve chance. E tão logo a etapa complementar começou, uma jogada ensaiada rendeu o 2 a 0 – Denzel Dumfries ajeitou de cabeça, e Derrick Köhn desviou, cometendo gol contra.

Dali por diante, o PSV só teve mais uma chance de gol, com Cody Gakpo, aos 62′. Nem precisava de mais, diante de um Willem II sem nenhum chute à meta durante os 90 minutos.

Standings provided by SofaScore LiveScore

SHARE