Um jogo e um parágrafo: a 30ª rodada da Eredivisie

Willem II 1×0 RKC Waalwijk (sexta-feira, 23 de abril)

Pavlidis (55′)
Destaque do jogo: Pavlidis (Willem II)

No primeiro jogo do Campeonato Holandês com torcida no estádio após seis meses, o Willem II começou bem mais insinuante em busca da vitória. Comprovou isso no primeiro tempo, com mais ataques e mais chances – como aos 20′, num chute de Derrick Köhn rebatido pelo goleiro Kostas Lamprou, e principalmente aos 24′, quando Sven van Beek cabeceou no travessão. No começo do segundo tempo, Lamprou salvou o RKC aos 50′, num chute de Vangelis Pavlidis. Mas aos 55′, foi impossível evitar o 1 a 0: Ché Nunnely cruzou, Pavlidis ainda perdeu o primeiro, mas conferiu na sobra. De quebra, o atacante grego quase fez seu segundo gol aos 67′, concluindo na trave. Aí, o Willem II cansou, e os visitantes de Waalwijk assustaram: um cabeceio de Richard van der Venne aos 73′, um chute de Moussa Sow aos 81’… mas o time da casa reagiu (Ché Nunnely quase fez nos acréscimos). E com a vitória, ficou um ponto atrás do RKC, respirando contra a queda. A festa da torcida fazia falta…

Heerenveen 0x2 Zwolle (sábado, 24 de abril)

Clement (28′) e Van Polen (68′)
Destaque do jogo: Clement (Zwolle)

Com os dois times recuados para evitarem contra-ataques, o jogo foi truncado em boa parte do primeiro tempo. Mas o Zwolle arriscou (começando aos 18′, com chute de Kenneth Paal). E petiscou: aos 28′, de fora da área, Pelle Clement fez 1 a 0. Só então o Heerenveen acordou. E partiu para o ataque, acertando a trave duas vezes – Tibor Halilovic, aos 30′, e Siem de Jong, aos 43′ (sem contar o chute de Lasse Schöne por cima do gol, aos 37′). No segundo tempo, o time da casa também se esforçava mais em busca do empate. Só faltava a eficiência. E ela sobrou no Zwolle: aos 68′, de cabeça, Bram van Polen completou escanteio para o 2 a 0 dos visitantes. Dali por diante, só mais uma chance do abatido Heerenveen, com Rami Hajal, aos 86′. Comemoração para Van Polen, de contrato renovado para seu 15º ano pelo Zwolle. Comemoração para o próprio Zwolle, matematicamente assegurado na primeira divisão por mais um ano.

PSV 1×0 Groningen (sábado, 24 de abril)

Zahavi (64′)
Destaque do jogo: Gakpo (PSV)

Num Philips Stadion emocionado pelas homenagens ao falecido ídolo Willy van der Kuylen, o PSV tentou se impor no ataque. Só faltou acertar a mira: Cody Gakpo acertou o travessão aos 17′, Donyell Malen chutou em cima de Sergio Padt aos 22′ (após boa jogada), Eran Zahavi mandou para fora aos 26′, e Itakura evitou que Ibrahim Sangaré finalizasse na pequena área, aos 37′. Na etapa final, o susto do Groningen foi forte: uma bola de Mohamed El Hankouri na trave, aos 49′. Mas depois, o PSV teve um primeiro gol anulado aos 57′ (Zahavi fez, mas a bola estava fora quando Denzel Dumfries cruzou). Pelo menos, o VAR que tirou também deu: deu um pênalti polêmico – mão de Wessel Dammers na bola -, e Zahavi fez 1 a 0 aos 64′. Depois, o VAR apontou impedimento e anulou outros dois gols do PSV: Gakpo aos 70′, Malen aos 84′. E o Groningen tentou o empate com El Messaoudi (68′) e Dammers (73′). Mas o time da casa venceu em Eindhoven. Enquanto houver chance de título, há esperança – mesmo minúscula…

Sparta Rotterdam 2×0 VVV-Venlo (sábado, 24 de abril)

Laros Duarte (41′) e Smeets (67′)
Destaque do jogo: Laros Duarte (Sparta Rotterdam)

O Sparta Rotterdam já começou tentando impor respeito no ataque. Só o goleiro Thorsten Kirschbaum impediu que o gol do time da casa viesse mais cedo: Kirschbaum evitou gols de Adil Auassar (3′), Lennart Thy (12′) e Sven Mijnans (35′). Mas aos 41′, não houve jeito: Laros Duarte bateu de fora da área, a bola desviou em Tristan Dekker e tirou as chances de defesa do arqueiro do VVV – 1 a 0. No segundo tempo, aqui e ali, os visitantes tentavam algo em busca do empate – como fez Zinedine Machach, aos 59′ e aos 66′. Porém, o Sparta seguia controlando a partida. Só faltava o gol. Ele veio aos 67′, num desvio de Bryan Smeets, após boa jogada. E a vitória estava praticamente garantida, quase sendo ampliada em tentativas de Reda Kharchouch (79′) e Deroy Duarte (84′). Ao VVV-Venlo, resta o medo cada vez maior do rebaixamento direto: 11 derrotas seguidas – recorde negativo histórico do clube na Eredivisie -, já em 16º lugar, vendo o Emmen pedir passagem…

Emmen 3×1 Heracles Almelo (domingo, 25 de abril)

De Leeuw (59′, 89′, 90′ + 1) – Vloet (83′)
Destaque do jogo: De Leeuw (Emmen)

O Heracles ainda começou trazendo mais perigo: Noah Fadiga veio da lateral direita para tentar dois chutes, aos 8′ e aos 15′, mas o goleiro Michael Verrips evitou coisa pior para o Emmen. Aí, o time da casa teve mais a bola. E começou a buscar o gol: Sergio Peña aos 22′, Luka Adzic aos 30′, Glen Bijl nos acréscimos (cabeceou na trave)… a torcida se animava, vendo o gol perto. E no segundo tempo, ele aconteceu aos 59′: Michael de Leeuw foi derrubado na área por Fadiga, e ele mesmo cobrou o pênalti para o 1 a 0. Aí, os donos da casa se seguraram diante do ofensivo Heracles. Rai Vloet quase empatou aos 76′: chutou por cima. E uma saída desastrada de Verrips abriu o caminho do empate: ele derrubou Vloet, e este cobrou o pênalti do 1 a 1 aos 83′. Coube a De Leeuw ser a fada madrinha da comovente reação que o Emmen vive na temporada: ele fez 2 a 1 aos 89′, num chute forte, e ainda marcou o terceiro nos acréscimos. Torcida em êxtase: o Emmen já teria a “segunda chance” de salvação na primeira divisão, via repescagem. Mas não quer parar por aí. Quem duvida, agora?

Ajax 2×0 AZ (domingo, 25 de abril)

Klaassen (66′, 90′)
Destaque do jogo: Klaassen (Ajax)

No primeiro tempo, o começo foi do Ajax: Sébastien Haller só não fez aos 7′ porque o goleiro Marco Bizot se antecipou, e Nicolás Tagliafico quase fez aos 21′. Daí, a outra parte foi do AZ. Foi a vez de Maarten Stekelenburg salvar o time da casa em Amsterdã: o goleiro bloqueou os chutes de Owen Wijndal (21′), Calvin Stengs (27′) e Albert Gudmundsson (32′), mantendo o 0 a 0. Quando a etapa inicial se encerrava, Dusan Tadic deu um sinal do que viria no segundo tempo: quase fez, de falta, aos 43′. Pois bem: se Stekelenburg brilhara antes, Bizot virou o nome do jogo na etapa complementar. Defendeu dois chutes de Tagliafico aos 48′ e 63′, enquanto o AZ ousou com Gudmundsson (49′ e 55′). Só que, aos 66′, nem Bizot evitou o 1 a 0, que veio dos pés de Davy Klaassen, à queima-roupa. Pelo menos, o goleiro do AZ voltou a defender demais: Klaassen aos 83′, Brian Brobbey aos 86′, Ryan Gravenberch aos 89’… mas aí, completando escanteio no último minuto, Klaassen fez 2 a 0. De certa forma, deu início à festa do título iminente do Ajax na Eredivisie.

ADO Den Haag 0x3 Fortuna Sittard (domingo, 25 de abril)

Flemming (39′), Polter (48′) e Tekie (77′)
Destaque do jogo: Flemming (Fortuna Sittard)

Diante de um Den Haag alquebrado pela crise dentro e fora de campo, o Fortuna Sittard começou atacando. Chegou perto com Zian Flemming, aos 9′, e com Mats Seuntjens, aos 26′. Pouco depois, o time da casa começou a se arriscar, principalmente com Milan van Ewijk – que chutou perto, aos 38′. Porém, na chegada seguinte, o Fortuna fez 1 a 0, com chute rasteiro de Flemming. Os mandantes ainda terminaram pressionando, com Ricardo Kishna, aos 41′, mas os visitantes de Sittard quase fizeram de novo antes do intervalo, de novo com Flemming, cabeceando na trave. E tão logo o segundo tempo começou, Sebastian Polter teve retribuída a gentileza do primeiro gol – ele cruzara para Flemming então, ele recebeu o cruzamento para o 2 a 0. Na reta final, o Den Haag deu um leve sinal de vida com Michiel Kramer, aos 64′. Mas tomou o golpe final aos 77′, quando Tekie fez 3 a 0. Fortuna seguro na tabela. E a derrota em campo é o menor dos problemas para o ADO Den Haag…

Feyenoord 0x0 Vitesse (domingo, 25 de abril)

Destaques do jogo: Openda (Vitesse) e Bijlow (Feyenoord)

O jogo era em De Kuip, a torcida a celebrar o reencontro era a do Feyenoord… mas o Vitesse é que ficou mais perto do gol no primeiro tempo. Pelo menos três vezes (12′, 35′ e 45′ + 1) Loïs Openda teve a chance de abrir o placar para o time de Arnhem, e em todas elas o goleiro Justin Bijlow agiu bem e salvou o Feyenoord. Ao time da casa, restaram duas chances: um cruzamento de Marcos Senesi que passou perto, aos 28′, e um chute de Bryan Linssen por cima do gol. Em meio a um jogo de muitas faltas, no segundo tempo o Stadionclub tentou um pouco mais: Steven Berghuis arriscou aos 49′, aos 63′ e aos 69′, mas o goleiro Remko Pasveer evitou todas essas chances (sem contar chute de Linssen na sequência da tentativa, aos 69′). Ainda assim, a partida seguiu truncada. E teve o símbolo disso na dura expulsão de Berghuis, aos 75′, após carrinho por trás em Tomas Hajek. O empate sem gols simbolizou bem uma partida que teve mais briga do que bola.

Twente 1×2 Utrecht (domingo, 25 de abril)

Danilo (21′) – Van de Streek (49′) e Kerk (55′)
Destaque do jogo: Maher (Utrecht)

As duas maneiras de atacar ficaram bem definidas para cada time. O Twente partiu para os contra-ataques rápidos. Luciano Narsingh tentou aos 9′, Queensy Menig cruzou a bola perto do gol aos 20’… e uma triangulação rápida fez os Tukkers abrirem o placar, aos 28′: Ramiz Zerrouki lançou, Luciano Narsingh cruzou, Danilo completou. Aí, foi a vez do Utrecht apresentar o que faria ofensivamente: chutes de fora da área. Adam Maher fez o goleiro Joël Drommel trabalhar duas vezes, aos 37′ (sem problemas) e aos 40′ (aí Drommel já soltou a bola). Mas foi com a esperteza que os Utregs viraram o jogo, no começo do segundo tempo. Aos 49′, Sander van de Streek fez 1 a 1, desviando cruzamento. E aos 55′, um erro da defesa do Twente deixou Gyrano Kerk livre para marcar o segundo. A vitória poderia ter sido ainda mais ampla, caso Van de Streek não houvesse perdido um pênalti, aos 60′. Mas após um começo decepcionante de temporada, o Utrecht vai cumprindo seu objetivo inicial no fim.

SHARE