Gerações de Ouro? Veja quem são as promessas das seleções da América do Norte para a década

O futebol norte americano sempre foi um mero “coadjuvante” na história do esporte. Apesar disso, já protagonizou feitos surpreendentes, tal qual a vitória dos EUA sobre a Inglaterra na Copa de 50 assim como seu vice campeonato na Copa das Confederações de 2009, onde perdeu em uma virada emocionante para o Brasil. Porém nunca houve uma consistência de gerações com grandes atletas durante a história do futebol estadunidense ou canadense, os mexicanos por sua vez conseguiram, em alguns momentos, trazer times competitivos em grandes competições. Porém, nesta década de 20, as coisas podem mudar:

Mostraremos aqui os jogadores mais promissores dos três países da América do Norte e que podem surpreender nos próximos mundiais.

Estados Unidos

Christian Pulisic

Pulisic está em baixa no Chelsea, ainda assim, desperta atenção desde os 16 anos, quando fez sua estreia pelo Borussia Dortmund. Foi contratado em 2019 pelo Chelsea após 127 jogos pelos Amarelos, anotando 19 gols e 26 assistências. Pela seleção até agora foram 36 jogos com 15 gols e 10 assistências.

Pulisic tem 22 anos e costuma jogar pela ponta-direita, mas pela seleção atua pela esquerda ou centralizado, sendo considerado o principal destaque do país e a esperança para 2022.

Em sua última partida pelo Chelsea, marcou dois gols e ajudou o time na vitória por 4×1 contra o Crystal Palace pela Premier League.

Sergiño Dest

Dest já é de uma geração mais recente e talvez hoje seja o jogador estadunidense em melhor fase atuando por grandes ligas europeias.

Aos 20 anos, o lateral direito é destaque no Barcelona e vem fazendo boas partidas, apesar dos números tímidos, com apenas 3 gols e 1 assistência em 37 jogos na temporada atual, Dest se destaca por sua presença em campo, com uma ótima atuação ofensiva, porém, devido a pouca idade, vem sendo bastante questionado se já está pronto para assumir a titularidade.

Sergiño é neerlandês, porém, por ser filho de estadunidense ganhou o direito de defender a seleção. Onde inclusive joga desde 2019. Está em sua segunda temporada como profissional após subir da base do Ajax em 2019. É uma das maiores promessas do país e provavelmente estará no elenco caso os EUA se classifiquem para a Copa de 2022.

Em sua partida teve uma fraca atuação contra o Real Madrid e foi substituído no segundo tempo na derrota por 2×1 do Barcelona.

Weston McKennie

McKennie tem 22 anos, mas despontou para o mundo na atual temporada se destacando pela Juventus, após se destacar pelo Schalke 04 nas últimas temporadas.

Se destaca pela polivalência em campo e vem marcando gols na atual temporada, são 6 em 37 jogos, somando também 2 assistências, o suficiente para colocar o jogador entre os mais promissores da atualidade.

Apesar de ser um destaque recente, Weston já atua pela seleção desde 2017 e soma 21 jogos desde então, marcando 6 gols e 4 assistências.

México

Hirving Lozano

Lozano é o jogador mais velho da lista com 25 anos e já é um jogador do mais alto nível em grandes ligas.

Começou no Pachuca, do México, mas desde 2017 já está na Europa: passando pelo PSV e agora pelo Napoli, somando 13 gols e 4 assistências em 36 jogos na temporada.

“Chucky” Lozano já joga pela seleção desde 2017 e já tem uma Copa do Mundo na bagagem, onde inclusive marcou um gol importante na surpreendente vitória contra a Alemanha. Ao total são 11 gols e 7 assistências pela Seleção Mexicana desde que estreou.

Edson Álvarez

Mais um caso de jogador que fez o caminho de sair do México e ir para os Países-Baixos. A Eredivisie é uma liga famosa por valorizar jovens talentos para jogar em alto nível o mais rápido possível.

Álvarez tem 23 anos e está no Ajax desde 2019 e recentemente começou a receber mais oportunidades no time titular nesta temporada e vem se mostrando bastante promissor, porém, quem é mexicano já conhece o jovem desde 2017, onde participou do título da Gold Cup daquele ano pelo México com apenas 19 anos, além de também ter participado do último mundial.

Diego Lainez 

O possível companheiro de ataque de Lozano na seleção. Diego Lainez é uma das mais recentes promessas mexicanas e vem recebendo algumas chances na equipe principal do Bétis.

Marcou recentemente seu primeiro gol internacionalmente, mas fez apenas uma partida oficial. Jogou 7 amistosos, mas ainda segue sendo observado e bastante cotado para conduzir seu país a voos maiores na década que vem por aí.

Canadá

Alphonso Davies

Esta é a geração de ouro do Canadá. Nunca houve uma safra tão promissora no futebol do país e alguns jogadores dão a esperança aos canadenses de participarem da segunda Copa do Mundo em sua história, e um deles já é um dos principais jogadores do mundo:

Alphonso Davies já coleciona títulos pelo Bayern e atuações pela seleção desde os seus 16 anos. A temporada de 2019-20 foi especial para o lateral, sendo uma das estrelas em um Bayern arrasador comandado por Hansi Flick.

Na atual temporada, Davies não conseguiu desempenhar as mesmas atuações de 2020, sofreu uma lesão ao fim do ano e está tentando recuperar o ritmo, mas ainda é considerado a joia de ouro dos canadenses.

Davies não se destaca apenas em campo, fora dele também: Foi o primeiro jogador a ser declarado embaixador da Comissão de Refugiados da ONU. Davies nasceu em um campo de refugiados em Gana, enquanto seus pais fugiam de uma guerra civil na Libéria e antes de conseguirem chegar ao Canadá.

Jonathan David

Davies não terá problemas ao procurar um artilheiro para servir: Jonathan David vem fazendo uma ótima temporada na França e o futuro é animador:

David foi contratado pelo Lille após temporada incrível pelo Gent, da Bélgica: O atacante de apenas 19 anos marcou 23 gols e 10 assistências em 40 jogos, e na França, não sentiu a pressão: São 10 gols e 3 assistências em 42 jogos.

Os canadenses já conhecem David pela seleção desde os seus 18 anos, onde já são 11 gols em apenas 12 jogos. O números impressionam e David pode ser a máquina de gols que conduzirá o Canadá ao Mundial.

Cyle Larin

Larin é assim como Lozano um jogador mais velho que os outros, contudo também mostra potencial de ajudar sua seleção em um mundial.

É um dos destaques do Beşiktaş na temporada e já está firmado na seleção desde 2014. No entanto, ainda busca uma chance nas principais vitrines europeias, mas ainda assim é figura carimbada no time titular canadense e pode levar perigo aos adversários.

Qual das três seleções podem levar mais perigo em 2022?

SHARE