Um jogo e um parágrafo: a 29ª rodada da Eredivisie

Vitesse 0x0 ADO Den Haag (sexta-feira, 9 de abril)

Destaque do jogo: Van Ewijk (ADO Den Haag)

Quando o jogo começou, o Vitesse tentou a imposição esperada contra o lanterna da Eredivisie. Oussama Tannane abriu os trabalhos com um chute no travessão, aos 8′. Depois, aos 14′, Eli Dasa só não fez 1 a 0 porque Milan van Ewijk (único nome promissor do Den Haag) bloqueou na pequena área. E o Vites… ficou nisso. Por um bom tempo, foi incapaz de perturbar os visitantes de Haia. Só pressionou quando o segundo tempo começou – aos 49′, num chute de Riechedly Bazoer. Depois, aos 66′, um cabeceio de Dominik Oroz – substituto do adoentado Danilho Doekhi na zaga -, para fora. Diante de tal marasmo, o Den Haag teve esperanças, em chutes de Kees de Boer (63′) e Marko Vejinovic (76′), ambos defendidos pelo goleiro Remko Pasveer. O Vitesse teve mais razões para lamentar o empate sem gols no placar. Ao lanterna, pelo menos, foi um ponto a mais.

Heracles Almelo 4×0 Willem II (sábado, 10 de abril)

Bakis (6′ e 38′), Pröpper (46′) e Vloet (77′)
Destaque do jogo: Vloet (Heracles Almelo)

Bastou o jogo começar para o Heracles Almelo já sinalizar como venceria o Willem II: nos cruzamentos. Foi de um escanteio de Rai Vloet, aos 6′, que Sinan Bakis desviou para fazer 1 a 0. No resto do primeiro tempo, os visitantes de Tilburg tiveram mais a bola, mas nada de ameaças. Firme na defesa, quando o Heracles ameaçou de novo, foi já para fazer 2 a 0 – aos 38′, de novo um cruzamento (de Kasper Lunding), de novo Bakis, de novo para as redes. E qualquer expectativa de mais ataque dos Tilburgers, com a entrada de Ché Nunnely no segundo tempo, morreu quase no nascedouro: bastaram 28 segundos da etapa final para um escanteio, que Robin Pröpper cabeceou para o 3 a 0. Só para ampliar o placar de uma vitória já encaminhada, Vloet fez o quarto gol dos Heraclieden aos 77′. Completando cruzamento (de Lucas Schoofs), é claro.

AZ 2×0 Sparta Rotterdam (sábado, 10 de abril)

Clasie (14′) e De Wit (66′)
Destaque do jogo: Clasie (AZ)

Bastaram dois minutos para o primeiro sinal de domínio do AZ no jogo: só uma ótima defesa de Maduka Okoye, com os pés, impediu o gol de Myron Boadu. Depois, aos 11′, Okoye ainda evitou o gol de Calvin Stengs. Porém, aos 14′, não houve jeito: substituto do suspenso Teun Koopmeiners, Jordy Clasie comemorou o 1 a 0 que fez, num chute da entrada da área. Mesmo com o Sparta querendo pressionar, o time da casa dominou em Alkmaar: Boadu quase completou bonita jogada para o gol aos 25′, e Jesper Karlsson teve gol anulado aos 38′. No segundo tempo, os visitantes assustaram levemente, num cabeceio de Lennart Thy, aos 57′. Porém, as coisas quase se restabeleceram aos 61′, quando Dirk Abels evitou um gol de Boadu. E aos 66′, Dani de Wit deu o golpe definitivo, fazendo 2 a 0  – e mantendo o AZ forte na reta final.

Fortuna Sittard 1×3 Emmen (sábado, 10 de abril)

Emmanoulidis (85′) – Peña (53′), Bijl (89′) e Gladon (90′ + 6)
Destaque do jogo: Bijl (Emmen)

Lisandro Semedo ainda deu um sinal de vida para o Fortuna Sittard, num chute aos 10′, após bela jogada. Porém, precisando vencer para seguir sua reação na tabela, o Emmen foi à frente. Paul Gladon teve gol anulado aos 33′, e Luka Adzic cabeceou para fora aos 42′. Só no segundo tempo veio a consequência de tanta pressão: Roel Janssen derrubou Gladon, o pênalti foi marcado (e Janssen, expulso), Sergio Peña fez 1 a 0 para os visitantes. Só aí, com um a menos, o Fortuna Sittard voltou a atacar. Gradualmente, chegou em jogadas isoladas (Mats Seuntjens, aos 76′) ou em chutes (Samuel Moutoussamy, aos 82′). E aos 85′, Dimitrios Emmanoulidis, vindo do banco, fez 1 a 1. Parecia impacto duro para o Emmen. Prontamente amenizado: Glenn Bijl foi derrubado na área pelo próprio Emmanoulidis, outro pênalti aos 89′, e Bijl converteu: 2 a 1. De quebra, nos acréscimos, Gladon, que já tivera dois gols anulados, quase teve um terceiro, mas o VAR sacramentou: 3 a 1. Emmen só um ponto abaixo da 16ª posição, que já dá a “segunda chance” de ficar na Eredivisie, via repescagem: quem diria?

Zwolle 1×0 Twente (sábado, 10 de abril)

Misidjan (35′)
Destaques do jogo: Misidjan (Zwolle) e Pherai (Zwolle)

No começo do jogo, o Twente ousou mais, fora de casa, com rapidez nas pontas – foi assim que Queensy Menig já mandou bola na trave, aos 4′. Porém, aos poucos, os visitantes diminuíram o ritmo. Foi a hora do Zwolle avançar, em chutes de fora da área. Uns menos perigosos (Dean Huiberts, aos 29′), outros mais (como o de Immanuel Pherai, aos 11′)… e aos 35′, a mira dos mandantes foi certa: Pherai arriscou de novo, o goleiro Joël Drommel rebateu, e Virgil Misidjan estava a postos para fazer 1 a 0. No segundo tempo, os visitantes de Enschede demoraram para buscar o empate. E buscaram também de fora da área. Menig e Danilo tiveram possibilidade, com um escanteio no meio, aos 61′. Na reta final, a pressão dos Tukkers foi maior, mas aí o goleiro Xavier Mous apareceu: pegou chute de Luciano Narsingh (83′), cabeceio de Danilo (86′), outro chute de Menig (87′)… e o Zwolle impôs o sétimo jogo seguido sem vitórias para o Twente. Melhor para os Zwollenaren, mais estáveis na tabela.

Utrecht 1×2 Feyenoord (domingo, 11 de abril)

Fer, contra (14′) – Gustafson, contra (27′) e Berghuis (57′)
Destaque do jogo: Berghuis (Feyenoord)

O Utrecht teve menos a bola. Mas chegou mais perigosamente ao ataque no começo. Aos 4′, um primeiro sinal, no chute de Sander van de Streek, para fora. Aos 11′, alerta mais forte: Gyrano Kerk cabeceou e forçou boa defesa de Justin Bijlow. No escanteio da sequência, veio o 1 a 0 dos Utregs – desvio acidental de Leroy Fer, gol contra. De quebra, Kerk quase ampliou, já aos 15′. Porém, se atacava pouco, o Feyenoord teve o “presente” “retribuído” numa bola parada: aos 27′, num escanteio, Simon Gustafson desviou de cabeça – mais um gol contra, 1 a 1. Aos poucos, o ritmo forte do time da casa caiu no ataque. Mais seguro em campo, quando o Feyenoord avançou de novo, virou o jogo, já no segundo tempo: aos 57′, após chance de Mark Diemers, Steven Berghuis (sempre ele…) fez 2 a 1. Depois, Bijlow se encarregou de estar a postos para boa defesa aos 74′, num chute de Moussa Sylla. Lesionou-se, Nick Marsman entrou e também colaborou, pegando chute de Eljero Elia. O Feyenoord venceu na eficiência.

VVV-Venlo 0x2 PSV (domingo, 11 de abril)

Gakpo (13′) e Malen (59′)
Destaque do jogo: Malen (PSV)

O VVV-Venlo escalou cinco na defesa? Nada mudou: o PSV começou dominando, como se esperava. Eran Zahavi já teve uma chance, aos 7′, e a bola entrou já na segunda oportunidade, aos 13′, em bonita jogada concluída com chute de Cody Gakpo. Vantagem garantida, o time de Eindhoven diminuiu o ritmo. E mesmo sem criar chances de ataque, tampouco era perturbado pelo VVV – na única chegada, aos 18′, Giorgos Giakoumakis até fez o goleiro Yvon Mvogo trabalhar, mas estava impedido. Quando o segundo tempo começou, até que o time da casa começou a insinuar uma leve pressão buscando o empate – por exemplo, num chute de Giakoumakis bloqueado por Pablo Rosario, aos 56′. Mas antes que a pressão ficasse realmente séria, veio o 2 a 0 do PSV, aos 59′, com Donyell Malen completando troca de passes na pequena área. Malen teve mais chances de marcar (61′, 71′, 75′), mas a vantagem já era o bastante: o VVV não conseguiria ameaçar mais o vice-líder.

Groningen 0x2 Heerenveen (domingo, 11 de abril)

Henk Veerman (71′) e Halilovic (87′)
Destaque do jogo: Halilovic (Heerenveen)

No princípio, foi a pressão do Groningen. Já aos 3′, Jorgen Strand Larsen completou cruzamento por cima do gol; e aos 18′, só o goleiro Erwin Mulder evitou o gol de Alessio da Cruz, livre na área. Depois, foi o crescimento gradual e consistente do Heerenveen na partida. Aí apareceu o goleiro Sergio Padt, com sucessivas boas defesas: num chute de Tibor Halilovic aos 28′, na tentativa de Mitchell van Bergen aos 39′, quando Joey Veerman finalizou aos 45’… no segundo tempo, em que pese uma tentativa de Patrick Joosten para o Groningen, aos 47′, o Heerenveen seguiu fazendo Padt trabalhar. Halilovic aos 51′, Henk Veerman aos 53’… até que, aos 71′, Sherel Floranus foi derrubado por Gabriel Gudmundsson. Pênalti, Henk Veerman bateu, 1 a 0. Aí, até Arjen Robben, voltando aos campos após quase seis meses, entrou para ajudar numa pressão. Mas foi o time visitante que fez 2 a 0, aos 87′, com Halilovic completando triangulação. Robben quase fez o gol que coroaria sua volta, nos acréscimos: era tarde.

RKC Waalwijk 0x1 Ajax (domingo, 11 de abril)

Haller (15′)
Destaque do jogo: Haller (Ajax)

O de sempre para o Ajax: procurar controlar a posse de bola, rondando sempre a área do adversário mais frágil. Se o RKC Waalwijk teve alguma chance aos 11′ (Lennerd Daneels teve chute bloqueado por Jurriën Timber), os visitantes de Amsterdã responderam logo na sequência, quando Dusan Tadic quase fez. Aos 13′, após troca de passes, Edson Álvarez chutou perto. E aos 15′, Sébastien Haller se esticou para fazer 1 a 0, num voleio acrobático após cruzamento. E na prática, o Ajax não fez muita coisa mais no restante do jogo. Fora uma ou outra oportunidade no segundo tempo – o chute cruzado de Dusan Tadic aos 51′, a tentativa de Nicolás Tagliafico que quase rendeu gol contra de Melle Meulensteen aos 67′ -, os Amsterdammers diminuíram o ritmo. Diminuíram tanto que o RKC Waalwijk até se animou, com a entrada de vários atacantes. Até assustou, aos 74′, com cobrança de falta de Cyril Ngonge, no travessão. Pouco para evitar outra vitória tranquila do Ajax. Tranquila até demais.

SHARE