A evolução de Frenkie de Jong com Ronald Koeman

Ronald Koeman chegou à Catalunha com o objetivo de reestruturar o Barcelona. Entretanto, o trabalho do técnico holandês ainda está longe do ideal. Resultados ruins e um desempenho questionável. Porém, um dos grandes acertos do técnico holandês foi potencializar uma das principais promessas do elenco. Frenkie de Jong vive o seu melhor momento desde que chegou ao Barcelona.

De Jong chegou à Espanha depois de se destacar com o Ajax de Erik ten Hag. Na Holanda, as suas qualidades já eram evidentes. Importante no momento de construção ofensiva com passes curtos e verticais, domínio orientado para tomar posse da bola e criar vantagem sobre o seu marcador e muita qualidade para sair de pressão com conduções em velocidade.

Características necessárias para um meio-campista. Apesar de ser jovem, Frenkie de Jong despontava como um dos principais atletas da sua posição. E isso chamou atenção do Barcelona. Uma equipe que sempre esteve ligada ao futebol holandês. Rinus Michels, Johan Cruyff, Ronald Koeman e Frank Rijkaard são alguns exemplos disso.

No entanto, a sua primeira temporada no Barcelona foi abaixo das expectativas. Ernesto Valverde e Quique Setién não conseguiram extrair o melhor do holandês. De Jong atuava em uma faixa mais restrita do campo. Não tinha tanta liberdade para circular na base da jogada, cair no setor da bola e se deslocar verticalmente.

O impacto de Koeman no bom momento de Frenkie de Jong no Barcelona 

Mas com o treinador holandês, Frenkie de Jong teve uma grande evolução. Além da sua produção em construção ofensiva, o meio-campista é um jogador que ocupa espaços vazios no último terço do campo, ataca as costas dos defensores e atinge zonas de finalização. O atleta tem sido cada vez mais decisivo para o clube catalão.

E o que comprova isso são os números da atual temporada. De Jong fez 36 jogos, marcou cinco gols, contribuiu com seis assistências e criou seis grandes chances. Já são 11 participações diretas em toda campanha. Em 2019/2020, os seus números foram mais tímidos. Foram cinco participações diretas (dois gols e três assistências em 42 jogos).

A influência de Ronald Koeman no jogo do holandês tem sido fundamental. Lembrando que ambos trabalharam juntos na seleção holandesa. Ou seja, o treinador já sabia como potencializar o atleta e encaixar a sua “nova versão” no contexto do Barcelona.

Uma mudança necessária e que tem dado muito certo. A evolução de Frenkie de Jong é um dos melhores acontecimentos da temporada tão decepcionante do Barcelona. O holandês tem tudo para ser uma das principais referências técnicas do clube espanhol em um futuro próximo.

 

 

SHARE